Roger e Abel Braga são os grandes favoritos para assumirem o comando da casamata alvirrubra na temporada 2018. O primeiro tem uma jovem e ascendente carreira, propõe novas metodologias e foi ídolo no rival, o segundo teve inúmeras passagens pelo clube, quase todas bem sucedidas e conquistou dois dos títulos mais importantes da história colorada, além de um currículo de dar inveja. Qual seria a melhor opção no momento?

Poll:6

Fizemos essa pergunta aos integrantes do site, Abel ou Roger? não foi permitido ficar em cima do muro nem dar 3° alternativas. A proposta é ser o mais realista possível e fomentar o debate sobre o tema entre os torcedores. Não esqueça de deixar sua opinião nos comentários! 

RESULTADO FINAL: ROGER 2X1 ABEL

-> Colaborador: Ariel Rother 
Abel ou Roger: Roger Machado
 
Explicação: "O Inter vem errando redondamente e trocando nos últimos anos fazendo escolhas sem coerência e optando por treinadores de times menores, que na maioria das vezes jogam apenas no erro do adversário e utilizam um futebol reativo, algo que para o Inter não é o suficiente.
 
Confesso que fico muito dividido entre Abel e Roger, mas opto por alguém que nunca esteve no clube e pode dar algo novo comparado com Abel que já teve várias passagens.
 
Acredito que se o Inter montar um plantel jovem, o Roger se encaixa muito bem nesse estilo, pois ele tem conhecimento tático e técnico e pode fazer com que muitos garotos do Inter evoluam como jogadores, algo que ele fez no nosso rival de forma brilhante. 
 
Primeiro de tudo acredito que o Inter precise de uma padrão de jogo, um estilo moderno de futebol, algo que venha do clube e que o treinador seja capaz de realizar e ter paciência para fazer isso, pois não vamos sair do balão e da ligação direta para um time que saiba sair jogando e use idéias do futebol moderno em 6 meses.... Ou seja, será um ano de transição e será necessário muita paciência.
 
Acho Abel se encaixaria melhor com um grupo mais maduro e com jogadores mais rodados pois sabe como poucos liderar um vestiário, além de ser um excelente estrategista. 
 
-> Colaborador: Israel Rother 
Abel ou Roger?: Roger Machado
 
Explicação:  "Precisamos de renovação  no clube, de novas idéias.  Gosto da proposta de como fazer o time jogar que o Roger busca criar, mas também acho que precisamos qualificar bastante o grupo, o elenco, sem isso nenhum treinador fará milagre. E precisamos dar tempo para o treinador trabalhar ( seja qual for o escolhido ), acho que nosso ano ainda será dificil e para formarmos um grupo vencedor novamente, isso leva pelo menos 2 anos.
 
Com Abelão ganhariamos em ambiente interno, em vestiário ele é muito bom, mas o Roger entendo que tem mais potencial para organizar o time.  
 
E tenho certeza que o Roger era colorado quando guri, antes de jogar, entao esse papo de gremista não tem o menor sentido! Ele sempre respeitou o  Inter em suas entrevistas.
 
-> Colaborador:  Alan Rother
Abel ou Roger?: Abel Braga
 
Explicação:  "Não é uma escolha fácil mas acabo optando pelo retorno de Abel Braga por um motivo muito especial: a próxima temporada será tão complicado quanto a de 2017 e 2016, tentarei me fazer entender.
 
Roger sem dúvidas é um nome interessante. Ele se preparou para embarcar na carreira a muito tempo como auxiliar técnico no rival antes de assumir equipes menores como Juventude, Novo Hamburgo, posteriormente, Grêmio e Galo, vivendo realidades distintas como gerenciar um grupo milionário em Belo Horizonte a clubes com dificuldades básicas no interior gaúcho. Ele também propõe um metodologia de vanguarda no contexto do futebol nacional, todavia, suas amostras ainda são poucas e revelariam-se como outra aposta, repetindo as últimas escolhas da atual gestão (Zago e Guto) mas também do clube como um todo. Desde 2013, com exceção de 2014, quando o próprio Abelão trabalhava no clube, vivemos de apostas que sucumbem e são demitidos quase que nos primeiros meses. 
 
Entre o sonho de um futebol vistoso e mais bem jogado de Roger versus o estilo conhecido imposto por Abel, em um porvir que se apresenta com extremas dificuldades orçamentárias, sem base de trabalhos anteriores, uma direção insegura e uma torcida machucada, acabo me vendo obrigado a eleger Abel. O treinador carioca mostra-se mais palpável, dando maior probabilidade sobre suas as chances de fracasso: o Internacional não pode se dar ao luxo de errar em 2018. Além disso, tem uma envergadura maior no clube diante de crises e um comando no vestiário quase que instintivo, fator crucial em um ano de dificuldades. 
 
Se estivéssemos em outra fase com uma base de trabalho segmentada, um grupo mais qualificado e uma torcida mais confiante, sem dúvida estaria mais tentado a Roger.