A direção do Panathinaikos deve facilitar a liberação do zagueiro Rodrigo Moledo em janeiro, segundo publicação da Zero Hora, pelo jornalista Rodrigo Oliveira, nesta quinta-feira. A questão mais importante a ser negociada, porém, será o acerto de luvas e salário.

O defensor entende que as lesões e o período em que ficou parado no Metalist, da Ucrânia, entre 2015 e 2016, dificultaram o seu crescimento profissional. De acordo com o agente, a intenção agora é aproveitar o ótimo momento no futebol grego para fazer “o contrato bom da carreira”

Confira a entrevista da Rádio Gaúcha e ZH com o empresário de Rodrigo Moledo, Cleiton Falcão

GaúchaZH: Qual será o futuro de Rodrigo Moledo em 2018 e quais as chances de ele acertar com o Inter?
Cleiton Falcão: O Rodrigo vem em uma temporada maravilhosa, foi escolhido na Grécia um dos melhores zagueiros do Campeonato Grego. Então, este é o momento dele se valorizar e fazer o contato bom da carreira dele. Com certeza, a maior paixão dele é pelo Inter, ele sempre fala do Inter, torceu muito na última janela para que desse certo o negócio. Infelizmente, os gregos deram para trás na hora de trocar a documentação. Mas vamos sentar, vamos conversar com o Inter, sem problema nenhum. No momento em que eles acharem que podem fazer a proposta, o Rodrigo está aberto para voltar.

GaúchaZH: O Inter já procurou vocês novamente para contratar o Moledo em janeiro?
Cleiton: No momento ainda não.

GaúchaZH: Qual a preferência do Moledo? Voltar ao Inter ou permanecer no futebol europeu?
Cleiton: Ele que sabe que este momento é importante para o futuro dele. Ele precisa fazer um belo contrato. Ele teve um ano parado e difícil, sem receber. O último clube onde ele jogou quebrou, na Ucrânia, o Metalist, o que complicou um pouquinho a carreira. Nós achamos em conjunto que este é o momento de dar tudo de si para fazer um belo contrato no próximo ano.

GaúchaZH: Os clubes europeus costumam ter mais “bala na agulha” para fazer propostas que os clubes brasileiros. Já houve clubes da Turquia interessados. Isso não coloca os europeus em vantagem na briga pelo Moledo?
Cleiton: Eles (europeus) tem, mas no Brasil também tem. Acredito que o Inter assim como algum outro clube podem chegar aos valores que os clubes europeus oferecem também.

GaúchaZH: Os gregos complicaram a liberação do Moledo no meio do ano. Você acredita que em janeiro a liberação pode ser facilitada?
Cleiton: Sim, hoje as pessoas que trabalhavam naquele momento não trabalham mais. Eles tiveram alguns problemas, questão de dinheiro, o presidente queria vender o clube e não achou a pessoa certa ainda. Mas acredito que vai ser fácil sim.

GaúchaZH: Os dirigentes que complicaram o negócio no meio do ano não estão mais, então agora a liberação deve ser mais fácil?
Cleiton: Acredito que sim.

GaúchaZH: O Rodrigo Moledo está perto de ficar livre. O valor dos direitos será menor. Nesta linha de fazer um bom contrato, vocês trabalham com a ideia de que uma parte deste valor seja pago ao Rodrigo como luvas?
Cleiton: Com certeza. Esta é uma opção para valorizar o atleta. Na última janela, eles (gregos) falavam em 2,5 milhões de euros de transfer. O atleta quer ser valorizado.