O jogo diante do Santa Cruz na capital pernambucana representava para o Internacional a segunda partida seguida fora de seus domínios, sequência que foi planejada para a obtenção de pelo menos quatro pontos, com apenas dois sendo conquistados, pontuação que fez jus pelo demonstrado dentro de campo em ambos confrontos. Pontuar fora de casa é importante sim, porém o futebol apresentado deve claramente ser aprimorado para garantir a chamada “gordura” logo à frente.

O estado do gramado que o “mundão” do Arruda ofereceu obviamente não foi dos melhores, tendo em vista que Recife foi atacada por fortes chuvas durante toda semana, porem isso não foi desculpa para o time coral que tomou as maiores ações do embate, mas também não obteve muitas chances de gol muito devido ao péssimo estado de sua cancha, que apresentava imperfeições por toda parte dificultando a condução de bola para ambas as partes, feito esse que contribuiu para que a peleja se tornasse de certa forma mais morna.

Guto Ferreira surpreendeu na escalação inicial implementando uma série de mudanças significativas, como o ingresso de Ernando no miolo de zaga, com Junio e Carlinhos nas laterais adiantando assim Edenílson e Uendel para a meia cancha, além do regresso de Eduardo Sasha ao trio de ataque, modificações essas bem vistas por minha parte, com exceção feita ao lateral direito que realmente teve uma atuação muito abaixo do esperado.

Projetando os próximos compromissos na série B o comandante colorado acredito eu, não esquecerá de um nome: Diego é a bola da vez, entrou bem diante do Figueirense marcando o gol salvador, agora novamente a sua entrada agitou a equipe, sua presença nos compromissos seguintes me parece algo natural, já que se faz presente a necessidade da volta das vitórias, a tabela prevê agora quatro jogos dentro do estado, três deles no Beira-Rio.

Abraço a nação colorada!

Leandro Tavares / Contato: https://twitter.com/LeTavares5