Descubra os grandes momentos vividos pelo respeitado historiador colorado Raul Pons. Conheça quais são os seus grandes jogos, times, jogadores e muito mais da rica história centenária colorada.

Nome ou apelido: Raul Otávio de Souza Pons
Nunca tive um apelido que fosse comum a várias pessoas, minha mãe me chamava de "Véio", algumas primas, mais velhas, me chamavam de "Tavinho", alguns primos me chamam de "Rolo", mas a grande maioria das pessoas me chamam por Raul, mesmo.

Cidade que nasceu: A grande Rosário do Sul!
Profissão: Professor de história
Hobbies: Futebol de mesa era meu hobbie favorito, mas faz tempo que não jogo.
Pesquisar a história do Internacional tem sido o meu grande hobbie, nos últimos anos.
Músicas que gosta: Tenho um gosto eclético. Gosto de rock, música nativista, samba e pagode. Tb gosto de rap, black music e alguma coisa de reggae (Cidade Negra). Mas só não gosto, mesmo, de música sertaneja, techno, funk e tchê music. De resto, tenho vários ritmos na minha discoteca.
Possui algum site/blog: Não, mas escrevo no Blog Vermelho e no SCInternacional.net (e estou em dívida com os dois!)

É sócio do Inter?
Fui sócio em 1999 e 2004, atualmente não faço parte do quadro social.

Se vai no estádio, em que setor e porquê?
Já assisti jogos em todos os setores do estádio, com exceção dos camarotes.
Gostava mesmo era da Coréia. Como este setor não existe mais, não tenho um setor preferencial. Em jogos sem muito público, gosto de ficar próximo à área que o Internacional vai atacar, e no 2º tempo troco de lado. Em jogos que isso não vai ser possível, prefiro ficar próximo ao meio de campo.

Por qual motivo se tornou colorado?
Com um pai xavante e mãe gremista, foi uma decisão meio instintiva, ser colorado. Desde pequeno, gostava da cor vermelha. E meu pai tb tem um pouco de culpa nisso. Sabendo que jamais conseguiria fazer com que eu torcesse para o Brasil, estimulou meu coloradismo nascente, pois achava muito pior ser gremista.

Lembra do primeiro jogo que assistiu do Inter?
Pelo rádio, tenho vagas lembranças de jogos pelo campeonato gaúcho, que meu pai escutava, lá por 1974, 1975...
Na TV, o primeiro jogo que recordo de ter assistido foi a final do campeonato brasileiro de 1976
No estádio, meu primeiro jogo foi Internacional 0x0 Bangu, em 07.02.1981.

Qual seu jogo(s) inesquecível?
Impossível escolher um só...
Internacional 1x0 Barcelona - Mundial 2006
Internacional 2x1 São Paulo - Libertadores 2006 (1º jogo da final)
Internacional 5x2 Grêmio - Brasileiro 1997
Internacional 3x2 Palmeiras - Brasileiro 1979

Pior jogo do Inter para tí?
Vi o Internacional disputar partidas medíocres nos anos 1990, em campeonatos gaúchos e mesmo pelo Brasileiro. Mas os momentos que destacaria como mais dramáticos não foram necessariamento partidas que o time tenha jogado
muito mal.
Internacional 0x1 Cruzeiro - Brasileiro 2002 - nesse dia temi que o
rebaixamento fosse inevitável
Internacional 1x0 Palmeiras - Brasileiro 1999 - eu tinha certeza do resultado, mas o gol demorou a vir, e depois o Pena quase empata...
Internacional 0x0 Bahia - Brasileiro 1988 - a frustação após o Gre-Nal do Século
Internacional 0x3 Atlético MG - Brasileiro 1980 - o sonho do tetra acabou de forma surpreendente
Internacional 0x1 Grêmio - Gaúcho 1977 - foi quando descobri que, as vezes, a gente perdia para o Grêmio...

Qual seu clássico Gre-Nal inesquecível?
Difícil escolher um só, mas vou escolher: o Gre-Nal do Século!

Qual foi a maior loucura que fizeste pelo Inter?
Acho que nunca fiz grandes loucuras, talvez a maior seja algo bem simples: em 2004, no dia do Gre-Nal do Beira-Rio, pela Copa Sul-Americana, eu tinha aula no cursinho onde trabalhava, das 19:00 até as 20:30. Tudo normal, trabalhar, fazer um lanche, e ir para o Beira-Rio, assistir o jogo.
Mas aí, perto das 17:00 horas, descobri que o jogo seria as 19:30. Liguei para o cursinho, contei o maior drama, parentes doentes, crianças sozinhas em casa, etc, etc... e cancelei a aula. Mesmo sendo sócio, esta partida custou mais caro que um ingresso atual...

Tb em 2004, decidi assistir um jogo quando faltava menos de 30 minutos para começar...peguei um táxi do Morro Santana até o Beira-Rio, e novamente gastei mais que um ingresso atual para ver o Colorado jogar...

Quais teus ídolos particulares?
Falcão, o maior deles. Depois, Figueroa, Fernandão e Rúben Paz tb são ídolos que mereceram uma grande admiração, quando passaram pelo clube.

Qual título mais marcou você?
A Libertadores de 2006... foi um acerto com o passado, o momento de soltar o grito de campeão, preso na garganta desde 1980.

Qual canto da torcida mais gosta?
Não me ligo muito nos cantos. Acho legal, mas não tenho nenhum preferido.
Para ser sincero, acho até meio chato aquele acompanhamento meio "argentino". Mas uns dias atrás ouvi as músicas em ritmo de pagode, e ficaram bem legais. Acho que está faltando um pouco de samba nas nossas músicas.

Para você, ser colorado é:
Cumprir nossa missão na Terra. Os que escolheram outros clubes, é pq degeneraram, pois todos nascem colorados...

Você já chorou pelo Inter? Se sim, em que ocasião?
Eu sou pouco expansivo, emocionalmente. Não sou frio, mas raramente demonstro as emoções que sinto. Não recordo de ter chorado pelo Colorado, mas já ocorreram momentos do clube me proporcionar grande felicidade, tristeza e raiva.

Por ser historiador, e ter muito conhecimento da história colorada, quais momentos dos 100 anos do Inter consideras os mais marcantes?
É uma tarefa difícil, esta. Mas eu destacaria estes anos e acontecimentos:
1913 - O primeiro título
1927 - O primeiro campeonato gaúcho
1928 - Ildo Meneghetti derrota o grupo de Antenor Lemos, que queria fechar o clube
1934 - O primeiro grande ídolo negro, Tupan, leva o time ao segundo título gaúcho
1940/1949 Rolo Compressor e Tesourinha
1955 O auge do Rolinho, com Bodinho e Larry infernizando os adversários
1969 Inauguração do Beira-Rio
1975/1976 O melhor time da história do clube domina o Brasil
1979 O título invicto brasileiro
1999 Um ano para ser esquecido
2005 O maior escândalo de arbitragem rouba o título brasileiro do Internacional
2006 A América e o Mundo aos nossos pés
2008 Campeão de Tudo

O Inter sempre se caracterizou como sendo o clube do povo Rio Grande do Sul, hoje em dia, com todas mudanças ocorridas, acredita que essa marca ainda se encaixa no contexto atual gaúcho?
Sim, ainda se encaixa. Um exemplo é o mundo do carnaval: a homenagem ao Centenário Colorado, feito pela Imperadores, este ano, foi muito superior à que foi feita pelo Bambas, ao Grêmio, em 2003. Pq? Pq a maioria do mundo carnavalesco é formado por colorados, e o próprio clube entende melhor esta ligação com manifestações populares, que o nosso rival. Mas noto, com preocupação, uma certa elitização da torcida que frequenta o estádio e os eventos produzidos pelo clube. A participação de pessoas de alta renda não é ruim, pelo contrário, é ótima, mas não deve ocorrer em detrimento das camadas mais populares. O clube tem de oferecer eventos e acomodações a todos os colorados, independente da condição social.

Após os títulos de 2006, muitos consideram essa equipe a maior da história, porém se esquecem da importância do Rolo Compressor, um marco na história do futebol Gaúcho e do Internacional, um time que atropelava os adversários, tinha grande qualidade ofensiva e muita força defensiva, tendo conquistado 8 estaduais em 9 anos. O que pensa sobre este tipo de afirmação? Já que cada grande time colorado teve suas respectivas épocas com características diferentes, poderia se equiparar em importância a equipe do Rolo com a do Mundial, tirando as diferenças de competições disputadas em cada época?
Há uma reação comum, em cada época vitoriosa, de que as pessoas que não vivenciaram outros períodos, considerem o seu como mais vitorioso. O time de 2006 era muito bom, um dos melhores da história, mas, mesmo sem citar o Rolo Compressor, eu citaria o time bicampeão brasileiro 1975/1976, como superior ao time de Fernandão e Cia. O Rolo Compressor tb foi uma máquina, em sua época, ganhando o que tinha para ganhar. E contava com um craque titular indiscutível da Seleção Brasileira, em uma época que era muito difícil um jogador de fora do eixo RJ/SP chegar lá.

Quais jogadores considera como os melhores da história (tecnicamente falando)?
São duas questões a serem abordadas: jogadores que vi atuar, e jogadores históricos.
Os 5 melhores que vi jogar (para fazer uma análise mais lúcida, vou considerar apenas de 1978 para cá):
Falcão
Rúben Paz
Fernandão
Batista
Mauro Galvão

Os 5 melhores da história:
Falcão
Tesourinha
Figueroa
Larry
Carpegiani

Sobre a evolução nos escudos do clube, o que pensa sobre as recentes mudanças no logo do Inter? A coroa, posteriormente as estrelas e agora a borda com o nome escrito? O que acha sobre essas mudanças?Os símbolos representam a identidade do clube, forjada pela sua história e sua torcida. Querer mudar os símbolos é querer mudar esta identidade. Vejo isso com muita preocupação, e como um acontecimento ligado (mesmo que talvez não conscientemente) com a elitização que tem ocorrido no clube, já citada anteriormente.

Se não fosse colorado, você seria: Frustado

O grêmio é: O que é grêmio?

Clube que não seja o Inter que mais respeita?
O conceito de respeitar talvez seja um pouco amplo... Prefiro responder sobre que clubes eu tenho alguma simpatia, fora o Colorado.
América RJ - O Ameriquinha já foi um time médio, e que algumas vezes nos incomodava. Sempre torci para que um clube vermelho e branco ganhasse o campeonato carioca, mas o último título do América ocorreu 10 anos antes de eu nascer
Vasco da Gama - Essa simpatia é antiga. Meus dois primeiros times de futebol de mesa foram o Internacional e o Vasco. Quando eu tinha uns 7, 8 anos, ganhei uma camiseta do Vasco, de presente. E o Vasco tem uma história de enfrentamento do racismo parecida com a nossa. Mas muitas vezes já torci para o Vasco perder, tb.
Roma - Esta simpatia tem um responsável: Falcão.
Associação Rosário - time da minha cidade natal, e o primeiro que vi atuar em um estádio, atualmente está licenciado, e acho que nunca mais volta à atividade.
Brasil de Pelotas - Já que meu pai colaborou no meu coloradismo, eu tenho alguma simpatia pelo seu Xavante. Torci para que o Xavante não caísse, mas fiquei irritado com a postura do Tite de pedir para os jogadores não marcarem mais gols, no último confronto.

Gostaria de deixar algum recado para os colorados?
Nós colorados somos herdeiros de um grande patrimônio histórico, cultural e emocional, que foi construído ao longo de 100 anos. Nossa missão, que jamais podemos esquecer, é preservar, renovar e ampliar este patrimônio, mas sem jamais adulterá-lo!

O site SCInternacional.net agradece a participação desse grande colorado!