Temos o prazer de apresentar como entrevistado especial deste mês de Junho um dos grandes torcedores do Internacional na imprensa gaúcha, o coloradaço da gema e representante da bancada vermelha no ATL GreNal, Leandro Bortholacci, o Lelê, que compartilhou ao SCInternacional.net um pouco de sua história alvirrubra. Imperdível!

Confira abaixo a entrevista completa:

1) Quais teus Hobbies?

O que eu mais curto é ficar com a minha filha. Também gosto muito de ver futebol, independente de campeonato, ouvir música, cozinhar e curtir meus cachorros.

2) Conte um pouco da tua história de ligação com o Colorado, como começou a paixão pelo Clube, as primeiras partidas que lembra e o teu primeiro jogo no Beira-rio?

Sou Colorado desde que nasci; meu falecido pai pendurou um par de chuteiras na porta do quarto do hospital, porque naquela é poca era comum se pendurar um par de sapatos rosas se fosse menina e um azul se fosse menino. Pra evitar o azul, ele pendurou o par de chuteiras. Ele começou a me levar no estádio em 1978, tenho uma vaga lembrança de um jogo contra o Vitória. Depois em 1979, lembro do Grenal que vencemos por 1x0 com gol do Jair (eu estava atrás da goleira onde foi o gol) e da final contra o Vasco que vencemos por 2x1.

3) Com que freqüência e que setor mais gosta de assistir aos jogos no Gigante?

Vou a todos os jogos do Inter. Só deixo de ir por estar fora de POA ou se estiver trabalhando. Jogo contra o Náutico esse ano, por exemplo, eu tinha um trabalho as 18hs. Fui no estádio e saí com 10 minutos do segundo tempo. Ultimamente tenho assistido jogos no skybox da rádio, por obrigação profissional. Mas sempre fui de ir na "arquibancada inferior", no "meião".

4) O que pensa sobre o atual momento do Clube? 

O que acontece dentro do campo é absoluto reflexo de uma gestão em que as pessoas se achavam maiores que o clube; que viviam numa realidade paralela que começou com a criação do slogan "Campeão de Tudo" e que transformou o Inter num clube arrogante, principalmente fora do RS. Fiquei oito anos como conselheiro do clube e o que vi lá dentro me assustou. Tem MUITA gente que está lá por status. Que USA o clube pra se auto promover. E no futebol profissional não há mais espaço pra esse tipo de gente. O resultado está aí. Um clube com 300 milhões de orçamento anual, jogando uma segunda divisão. Não precisa ser incompetente pra fazer isso. Tem que ser MUITO incompetente! O único "envolvido" com o rebaixamento que eu coloco fora desta turma é o Fernando Carvalho, que acabou sendo chamado pra salvar o clube e, como todo Colorado que AMA o Inter, não se negou a ajudar. Acho errado colocar ele no mesmo balaio que toda a gestão que nos afundou.

5) Qual teu jogo(s) inesquecível? Aquele no topo da lista… 

São Paulo x Inter no Morumbi em 2006. Foi o jogo da nossa "libertação". Ali foi quando nossa história realmente mudou. E eu estava lá!

E um Inter x Palmeiras pela Copa do Brasil de 92 que eu tava na Coréia. Só me lembro do jogo porque ele existiu, hahahaha...

6) Acha que os momentos ruins pelo menos ajudam a formar a “identidade” do torcedor?

Com certeza!!! Eu comecei a ir no estádio vendo o Inter ser campeão brasileiro INVICTO. Depois disso, passei duas décadas "comendo o pão que o diabo amassou", mas nunca deixei de ir ao estádio. Fui a jogo de Gauchão, que o Inter estava apenas cumprindo tabela, já eliminado. Tinha jogo do Inter, eu tava lá. Sou sócio desde 1991, quando deixei de ser dependente do meu pai (um sócio podia ter dependentes até que eles atingissem a maioridade) por completar 18 anos. Numa época fiquei desempregado e não tive dinheiro pra pagar algumas  mensalidades. Quando consegui emprego, fui lá e renegociei a minha dívida, voltando a ser sócio em dia.

Muitos que se tornaram Colorados a partir de 2006 só agora estão vendo o que é a "fase ruim". Não precisava ser tanto, mas como eu disse ali em cima, o que ocorre no campo é consequência do que se faz fora dele.

Se o clube se reerguer, se reorganizar, isso  que estamos passando vai fazer bem pra quem tá vivendo. Mas tem que aprender; tem que se reinventar. As "soluções mágicas" não existem mais. 2006 ACABOU! 

7) Tem alguma opinião formada sobre as cadeiras no setor da Popular?? É contra ou a favor?

Se em todos os jogos as pessoas ficam de pé naquela parte do estádio, não há a necessidade de se ter cadeiras ali. Que se usem pros shows e etc. Mas pra jogo, se ninguém senta, pra que ter cadeira?

8) Qual foi a maior loucura que fizeste pelo Inter? 

Cara, nos anos 80 e 90 eu ia pros jogos praticamente sem dinheiro algum no bolso. Era o da passagem e o "um real" da Coreia. E era isso. Nos anos 90 "bebi" o dinheiro da passagem de volta e voltei a pé pra casa. Coisas nesse clima...

9) Quais teus maiores ídolos, jogadores que para ti marcaram história? Existe algum motivo especial por cada um deles?

Falcão pela representatividade e pela classe de jogar bola (e muito pelo gol contra a Itália na Copa de 82);

Taffarel, por ser um fora de série e ter tido o azar de jogar no Inter numa fase horrível;

Sóbis, por ter feito os dois gols do jogo que eu tenho como maior referência e por ter virado um amigo depois disso;

Fernandão, pela liderança, pelo caráter, pela dignidade e pelo sentimento que criou pelo clube; o maior de todos!

10) O que mais te dá orgulho de ser colorado, se pudesse de maneira racional explicar alguns fatores que traduzem o SCI para ti?

Ser Colorado é ter orgulho de poder fazer parte de uma história linda, cheia de superação e de grandes conquistas. É fazer parte de uma nação que chegou às plagas mais distantes vencendo adversários poderosos. Ser Colorado é construir um estádio sobre as águas do Guaíba e 45 anos depois receber uma Copa do Mundo. Ser Colorado é amar a camisa vermelha. É saber que o Inter é maior que TODAS as pessoas que passam por ele. É um sentimento. Pra mim, uma religião. É saber que nada, nem ninguém, vai nos separar!

Lelê no Beira-Rio / Foto: Divulgação

11) Como acompanhou essa mudança do Beira-Rio? O antigo estádio e seus momentos inesquecíveis ainda revivem em ti no novo Gigante ou mudou muito o ambiente?

Segue tudo muito vivo; Não perdi nada das memórias. A mudança foi necessária. Temos o nosso estádio renovado e a história permaneceu. Eu só penso que ainda deveria se expandir mais pro meio do campo a área livre de sócios. Espremer mais as cadeiras locadas na parte central do gramado. Quem sabe, colocar todas no anel superior e deixar todo o anel inferior (a parte que é do Inter) liberada para os sócios.

12) Tem algum canto da torcida que mais gosta?

Todos são lindos, mas o "Inter, estaremos contigo" mexe mais comigo e com a torcida.

13) Tu acha que é possível ser um gremista fanático (ou vice versa) e ser imparcial em todas às questões do jornalismo esportivo?

Sim. Só precisa ter caráter. Não é porque eu sou Colorado que vou opinar algo que seja a favor do meu time e contra a minha ética. Isso deveria ser básico. O cara que vê tudo "a favor" de seu time, bem como tudo "contra" seu rival é um idiota.

14) Como jornalista, o que mais te desagrada e o mais gratificante ao lidar com o público?

Gente que "coloca palavras na minha boca" que eu não disse. Isso me irrita muito. O mais gratificante é ouvir quando um Colorado chega pra mim e diz: "tu me representa". Minha função na mídia é apenas essa: representar o torcedor Colorado. E SÓ! O dia que a torcida não se sentir representada por mim, eu pego meu chapéu e vazo!

15)  Como torcedor tu percebe o clube se preparando para o futuro e com pessoas capacitadas ou corremos o risco de repetir 2016? Vê alguma solução a longo prazo?

Como eu disse, passei oito naos dentro do Conselho. Tem MUITA gente do bem lá e interessada no bem do Inter. Mas também tem MUITO sanguessuga. Gente que só se interessa no "status" de ser conselheiro, na carteirinha, na cadeira e no estacionamento (que os conselheiros tem direito).Um clube do tamanho do Inter precisa de gente profissional em todos seus departamentos. E, claro, principalmente no futebol, que é o principal motivo da existência do clube. Não há mais espaço pra amadorismo, achismos e confrarias de amiguinhos. Ou o Inter muda radicalmente, ou teremos anos bem complicados pela frente. E, se não aprendermos com um episódio com o rebaixamento, não sei o que será preciso acontecer...

16) Gostaria de deixar algum recado para os colorados?

Que não desistam, que apoiem o Inter nessa hora difícil. A torcida tem papel fundamental, nos principais momentos do clube. Ninguém queria estar indo a jogos da Série B, mas a incompetência de algumas pessoas que se achavam maiores que o clube nos levou a isso. A Série B é uma novidade pra todos nós, mas ela é uma REALIDADE.

Que tenhamos humildade pra sair dessa e que a torcida saiba cobrar dos dirigentes uma reformulação no clube para que nosso futuro volte a ser de glórias. Todos os clubes grandes que passaram pelo calvário da Série B e souberam aprender as lições, voltaram maiores. Temos uma única chance de aprender isso. E ela é agora!

Redes sociais: 
Twitter: https://twitter.com/leleolele/
Facebook: https://www.facebook.com/leandro.bortholacci/

Para ouvir o ATL GreNal: https://soundcloud.com/rbsradios