Ricardo Jesus, atacante do Juventude, próximo adversário do Inter nesta quinta-feira,  concedeu entrevista na noite desta segunda-feira (12/2) projetando o confronto no estádio Beira-Rio, pela 7° rodada do Campeoanto Gaúcho. Em seis partidas, o time de Antônio Carlos Zago não conseguiu agradar o torcedor e vem pressionado para Porto Alegre. Com apenas cinco pontos em cinco jogos, a equipe precisa de uma resposta rápida, mesmo que o confronto seja diante do Inter e fora de casa. 

O atacante alviverde, que começou no próprio Colorado, projetou o confronto "especial" desta quinta-feira:

"O Juventude não começou bem, mas estamos melhorando nosso estilo de jogo. A evolução está sendo boa. Ele (Zago) já é um grande treinador, que tenta jogar e não gosta de 'chutão'. Treinadores como ele melhoram o nosso futebol".

"Eu conhecia bem o 'antigo' Beira-Rio, jogávamos muito lá nas partidas preliminares. Agora, tenho a oportunidade de conhecer o novo estádio".

"Grandes clubes sempre têm pressão. O Juventude é grande, e estamos sendo cobrados. Nunca jogamos para perder e queremos achar a melhor maneira para tentar sair com uma vitória contra o Inter".

"Realmente, é um jogo especial, o Inter é o time que me criou e nunca tive a oportunidade de enfrentá-lo. Faz 11 anos que saí do Inter, no começo de 2007, quando fui atuar no futebol do exterior. O Inter sempre teve grandes jogadores, e, na época que subi para os profissionais, foi um tempo de muitas conquistas. Tentei aprender ao máximo com os jogadores que lá estavam".