1963 | Nasce Dunga

Em Ijuí, nasceu Carlos Caetano Bledorn Verri, que se tornaria mundialmente conhecido como Dunga. Ele defendeu o Inter em 1983 e 1984, anos em que conquistou três títulos estaduais. Em 1994, levantou a quarta Copa do Mundo como capitão do Brasil. Voltou ao Inter em 1999, tendo marcado um dos gols mais importantes da história do clube na época, que evitou o rebaixamento na dramática vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, então campeão da América.

1915 | O lacre quebrado

Seis anos após sua fundação, no sétimo clássico da história, o Inter bateu pela primeira vez o Grêmio, no Estádio da Baixada. E o feito veio com uma goleada de 4 a 1, com os gols anotados por Bedionda (2), Muller e Túlio. 

Havia muita expectativa em torno do clássico. Cerca de 4.000 pessoas compareceram ao campo gremista, para assistir a partida. A presença do público feminino, na época, era expressiva. Assim o jornal A Federação descreveu as torcidas femininas dos dois clubes:

"Enchiam o pavilhão central, as admiradoras do 'Gremio', gentis patricias graciosas e elegantes, onde dominava a tez rosada e os cabellos loiros das filhas da estimada colonia germanica."

"No chalet, situado na parte opposta á entrada, as alegres 'internacionalistas', deram a nota alegre da tarde, com suas enthusiastas ovações."

O clássico Grenal já era um evento marcante no cenário esportivo da capital. O ingresso dos times em campo, muito antes do "fair-play", já demonstrava a importância da partida, mesmo sendo um amistoso:

"Os contendores entraram no ground dois a dois, de braços entrelaçados e debaixo duma chuva de confetis e serpentinas do bello sexo e uma estrondosa saudação da assistencia inteira."

No sorteio do início do jogo, o Internacional escolheu o lado favorável ao vento, e a saída de jogo coube ao Grêmio. Por um momento fez-se completo silêncio no estádio, mas quando a bola rolou, a torcida passou a manifestar-se.

"Desde os primeiros momentos, da numerosa e selecta concorrencia apoderou-se um enthusiasmo incrivel, um verdadeiro delirio. Cerradas palmas premiavam, indistinctamente, os bellos feitos dos footballers, que se degladiavam."

Desde o início do jogo o Internacional tinha amplo domínio da partida. A 1ª etapa ocorreu quase toda no campo do Grêmio, que se defendia como podia. Mas nada do gol sair. Finalmente, a situação muda aos 44' do 1º tempo, em um gol assim descrito pelo jornal:

"A lucta desenvolvia-se brilhantemente, faltavam apenas alguns segundos para findar o primeiro tempo, quando Muller, o meia esquerda do alvi-rubro, aproveitou-se dum entrevero na porta do goal, e marcou o ponto da emocionante contenda. Os admiradores do 'Internacional' invadiram então o campo, em manifestações aos seus favoritos."

No 2º tempo, aos 4', Bendionda amplia, de cabeça. Túlio, em chute enviesado, faz 3 a 0, aos 30'. Aos 38' o gremista Sisson chutou, o goleiro Baes defendeu, mas deixou a bola escapar, entrando na rede após bater na trave. Aos 42, Bendionda encerrou o placar: Internacional 4 a 1.

A torcida colorada comemorou o feito:
"A legião 'internacionalista', no auge do enthusiamo, carregou os seus players, em meio de delirantes aclamações, a frente do pavilhão central do ground do 'Gremio'. Ali continuaram aquellas manifestações, em quanto as gentis gremistas cobriam os heroes alvi-rubros com delicadas petalas de flores.

O dirigente Antenor Lemos gritava de felicidade: "Está quebrado o lacre, esta quebrado o lacre", repetia sem parar, emocionado.

2005 | Internacional 1 x 0 Paysandu – Campeonato Brasileiro

O Inter derrotou o Paysandu à noite por 1 a 0, no Beira-Rio, e se aproximava um pouco mais do Corinthians, líder do Campeonato Brasileiro. A vitória, conquistada no encerramento da 35ª rodada, levou o Inter à vice-liderança isolada com 65 pontos. O clube do Parque São Jorge tem 71. O gol da partida foi marcado aos 28min da primeira etapa pelo lateral-esquerdo Alex, substituto do titular Jorge Wagner, que não atuou.

Internacional: Clemer; Granja (Ceará), Ediglê, Vinícius e Alex; Edinho (Wellington), Gavilán, Mossoró e Ricardinho; Rentería (Iarley) e Sobis. Técnico: Muricy Ramalho.

Paysandu: Alexandre Fávaro; Luís Henrique, Marquinhos (Rafael Moura) e Váldson; Jamur, Alemão, William (Leandro Eugênio), Gian e Cléber; Balão (Ceará) e Róbson. Técnico: Carlos Alberto Torres.

1999 | Internacional 1 x 0 Ponte Preta – Campeonato Brasileiro

O Internacional venceu a Ponte Preta pelo placar de 1 a 0, no Beira-Rio, pela Primeira fase do Campeonato Brasileiro 1999. O gol da vitória foi marcado por Ânderson. O Internacional e a Ponte Preta tiveram um jogador expulso cada um: Gustavo (Internacional) e Fábio Luciano (Ponte Preta). Com este placar, o Internacional ampliou a sequência de jogos (11) sem perder pra o adversário no Brasileiro Unificado.

1991 | Internacional 2 x 1 Aimoré – Campeonato Gaúcho

1982 | Internacional 2 x 0 Internacional de Santa Maria – Campeonato Gaúcho

1973 | Internacional 2 x 1 Guarani – Campeonato Brasileiro

1965 | Internacional 1 x 0 Cruzeiro de Porto Alegre – Campeonato Gaúcho

1998 | Internacional 0 x 0 Botafogo – Campeonato Brasileiro

1995 | Internacional 0 x 1 Grêmio – Campeonato Brasileiro

INTER HOJE E SEMPRE / DANIEL CASSOL E DOUGLAS CECONELLO