Emocionado após a partida, Lomba rapidamente comentou sobre o estudo dos batedores do Timão junto ao preparador de goleiros Daniel Pavan. No entanto, foi a intuição que falou mais alto embaixo das traves. Também agradeceu à confiança passada pela comissão técnica e direção depois da lesão do titular Danilo Fernandes.

"A gente estuda um pouco, mas foi muito na intuição. A gente vê o repertório, mas eles mudam bastante. O Jadson é um que bate nos dois lados, é difícil adivinhar – disse, para depois emendar: – Quando a gente causa desconfiança na torcida, fica muito triste, mas ninguém vê. O Inter apostou muito em mim, o (Daniel) Pavan, o Zago, a diretoria também bancou. Minha parte foi ficar ali, no sapatinho, treinando. Sempre confiaram em mim e eu agradeço.

"Essa classificação nos da muita moral. Mas temos que nos concentrar em chegar na final do Gauchão. Queremos o hepta".

"Eu estudo os pênaltis, mas ali é muito na intuição. Tem que ler a corrida do cobrador e tentar desestabilizar eles."

"Foram dois grandes jogos. As duas torcidas foram premiadas com estes dois confrontos."

"O Nico, o Valdívia e o Brenner jogaram muito no 2º tempo. Foi um grande jogo. As duas equipes valorizaram muito este jogo."

Pavan, por sua vez, demonstrou toda felicidade ao ver o pupilo como destaque da classificação. Citou a análise das preferências dos corintianos nos pênaltis e a tranquilidade de Marcelo Lomba no trabalho diário.

"É muito tranquilo, (Lomba) passa essa confiança, hoje mesmo na cobrança de pênaltis. Estamos muito felizes por ele, que é muito merecedor. O (pênalti) do Fagner, que ele não pegou, a gente estudou que batia cruzado, mas trocou o canto na hora. Só que (Lomba) conseguiu pegar outros dois e estamos muito felizes – elogiou o preparador de goleiros colorado."

OUÇA NA ÍNTEGRA / ÁUDIO