Confira as principais declarações da entrevista coletiva do vice de futebol do Internacional, Roberto Melo, após o empate contra o Corinthians pela Copa do Brasil, em 1 a 1, que garantiu a classificação nos pênaltis:

 "A classificação representa mais o aumento da nossa convicção de que o trabalho está sendo bem feito. Os treinos são muito bons, sempre é competitivo. A classificação aumenta a nossa aspiração no campeonato. Estamos entre os 16 melhores times. Isso dá convicção de que o trabalho está sendo bem feito".

" O respeito não se resgata no discurso se não se demonstrar no dia a dia e nos jogos. Nas partidas se observa isso, na maneira de jogar da equipe. O que nos dá orgulho é o que vemos no torcedor. A gente vê e sente que está voltando o orgulho do torcedor em ver este time jogar. Temos que melhorar muito, não conquistamos nada ainda. Domingo temos um jogo difícil, esperamos chegar na final do Gauchão. O hepta é um objetivo nosso. Seria uma grande conquista. Temos que manter a concentração e o foco."

"Várias coisas são fundamentais para a classificação: o espírito de luta, uma equipe que foi ao limite. Os jogadores se ajudaram o tempo todo. Mas também não abrir mão da maneira de jogar, independentemente das ausências. Não se elimina o Corinthians se não tivermos um grupo de qualidade, valente e muito concentrado."

"É evidente que isso sempre acontece, algumas coisas são levadas ao vestiário, mas isso não é o principal. Mas o trabalho do dia a dia, o comprometimento, o trabalho da direção de passar confiança e credibilidade, isso é nosso principal papel. Dar a confiança para trabalharem, saber que pode confiar na gente. Temos uma relação olho no olho e isso é algo que faz a diferença. Às vezes trazer alguma declaração da imprensa é importante para depois do jogo os jogadores fazerem uma corneta sadia. Mas isso não é o mais importante. O mais importante é o dentro de campo".

"Nós dá muito alegria e orgulho vencer o time deles, aqui na casa deles".

"Acima do respeito de outros clubes e da imprensa, gostaríamos de resgatar o orgulho do torcedor".