Como parte do pré-jogo, anteriormente ao confronto diante do Ceará, muito se debatia sobre o mau momento do sistema ofensivo de Guto Ferreira, especialmente dos homens com a incumbência de empurrar a bola para as redes adversárias, recado endereçado aos avantes que novamente iniciariam a partida: William Pottker e Nico López se mostraram extremamente oportunistas, anotando os dois tentos que garantiram a vitória sobre os cearenses no Castelão.

Um ponto muito importante - que foi preponderante para a conquista dos três pontos - foi a proposta de jogo adotada, que se consistiu em resguardar muito bem o setor defensivo, abnegando-se da bola em prol do objetivo final, o contra ataque. Essa caracretística é um passo muito importante para o acesso, aprender a jogar de forma mais resguardada mesmo que não seja o principal perfil da equipe, foi uma decisão acertada.

Esse equilíbrio defensivo adquirido pela postura atrás da linha da bola possibilitou uma saída de jogo bastante eficiente, já que o alvinegro de Fortaleza apesar de conseguir uma maior posse não oferecia nenhum risco, observando essa situação a dupla de ataque colorada foi posta no “mano a mano” com a defesa rival, e foi assim, nos contra golpes rápidos que a peleja foi definida, já que a qualidade técnica dos vermelhos se sobressalta quando a individualidade aparece como forma de sentença.

A vitória no Castelão foi a primeira repetição dos onze iniciais desde a chegada de Guto, e na partida seguinte se promoverá provavelmente mais uma sequência de time, fator a se comemorar. É claro que os ajustes em vários aspectos encontram-se no início mas a importância dessa vitória é vital, e mais relevante ainda foi a forma como  se deu, o Inter jogou com inteligência e mostrou efetividade nos momentos-chave.

Abraço a nação colorada!