Olá torcedores colorados, hoje gostaria de falar sobre uma pessoa que é muito especial para mim. O nome dessa pessoa é Sirlei, minha mãe, com seus 45 anos de vida. O meu amor pelo Inter, não veio de gerações e gerações, apenas de mãe para filha. Lá na década de 70, minha mãe morava com seus irmãos e seus pais na roça, no interior do Rio Grande do Sul.

Certo dia, seu pai chegou com um rádio como novidade para a família. Logo o primeiro jogo que minha mãe pode acompanhar, foi junto com seu irmão mais novo, ambos não sabiam quais times estavam jogando, não sabiam as cores das camisas, absolutamente nada.

Em meio a partida, identificaram os nomes das equipes, Internacional x Grêmio e se questionaram “que time tu torcerá?”, minha mãe sem pensar duas vezes falou que seria Internacional e meu tio Grêmio, tadinho. Algum tempo se passou e quando tinha gre-Nal, às mulheres iam para o porão e os homens ficavam na parte de cima da casa. Minha mãe nasceu em uma década vitoriosa para o Inter, Tricampeão brasileiro.

Na década de 80, com a compra da TV, minha mãe pode conhecer o tom de vermelho da camisa do seu time do coração e por fim, seu amor pelo Sport Club Internacional, se tornou cada vez maior, era inexplicável e também estranho naquela época, uma mulher que gostasse tanto de futebol e amasse tanto um clube. Nasci em 1998 e quase cresci com um rebaixamento para fechar a década ruim, mas tive sorte, nos anos 2000, vi a América e o Mundo sendo pintados de vermelho.

Antes disso, muitos não entendem o tamanho do amor que eu sinto pelo Inter e o por que dele ser tão “fanático”, tão surreal por um time. Isso tudo se deve, pelo fato de que durante a gravidez, minha mãe passou por muitas dificuldades e uma das poucas coisas que faziam ela se distrair, era o Inter, ela não entrou em depressão por causa desse time e foi praticamente uma troca, pois em um dos momentos mais difíceis do Inter, ela estava lá e foi assim, quando ela precisou.

Então deixo aqui, meu muito obrigada Sport Club Internacional, por ter sido o melhor amigo da minha mãe e hoje ter se tornado o meu. Minha forma de retribuir isso tudo é te amando cada vez mais e ir passando esse amor para meus filhos, netos e por ai vai e digo mais, eu prometo nunca te abandonar!

Por Lara Vantzen Kempfer / Contato: https://twitter.com/lara_vantzen