Como é de costume no mundo da bola o segundo semestre se estabelece como tempos de negociação no que diz respeito a contratos em vigor, onde os mesmos são revistos e assim avaliados de acordo a produtividade dos atletas neles inseridos, pois bem, mais um ídolo põe a mesa suas condições, negociar com a razão!? se deixar levar pela idolatria!? Lá vamos nós.

Tratativas para que um vínculo se estenda ou se rompa são absolutamente normais, mas quando se trata de uma figura tão icônica para todos aqueles que de rubro já se trajaram e por ele vibraram o assunto é diferente. El cabezón é nome ativo na historia colorada sendo mais identificado com a massa alvirrubra do que com qualquer hinchada portenha.

A liderança imposta por sua presença no vestiário e dentro de campo é de importância ímpar na biografia recente do clube do povo, a sua técnica no manejo da pelota é sublime e mesmo que não seja a de outrora, é a legítima questão do jogador experimentado ou cascudo que com sua presença, de largada, já rende pontos ao arsenal da equipe.

Sendo assim opino positivo para uma renovação, nem que seja por mais uma temporada, por ser da opinião que ele é merecedor de liderar mais uma vez o grupo vermelho em uma divisão principal, mas principalmente por representar a retomada do time a este posto, já que o clube desta grandeza nunca se ausentou. Que se complete uma década de D’Ale no Beira-Rio.

 Abraço a nação colorada!

 Por Leandro Tavares / Contato: https://twitter.com/LeTavares5