Não costumo escrever e nem gosto de falar sobre outras equipes que não dizem respeito ao Inter, mas neste lindo sábado (16) de sol e calor sou obrigado a comentar a grande final do Mundial de Clubes Fifa 2017, que por curiosidade e mero acaso, encerrou-se com um treino de luxo do gigante espanhol Real Madrid.

Esclareço que esse texto foi pensado apenas como resposta ao fato das provocações azuis que por diversos momentos ultrapassaram o limite do bom senso e beiraram ao desrespeito. O que se diz, se paga.

Não se preocupe caro torcedor gremista, 16/12 não será celebrado com um Real Madrid Day, ou imbecilidades do tipo, mas serve apenas como um lembrete de que quando se conquista um título continental é necessário aguentar o tranco de encarar adversários de um nível imensamente superior.

Após a 3° Libertadores do rival confesso fiquei espantado: o Grêmio se tornara o Boca Juniors das Américas. Isso mesmo, eles conseguiram passar de um status de um clube com 6 Libertadores, 3 Mundiais, 4 Brasileiros, 3 Recopas e 2 Sul-Americanas. É um caso único em que o verdadeiro “Rei de Copas” possui menos títulos internacionais oficiais que São Paulo, Santos, Inter ou Cruzeiro, times “pequenos” como disse o super zagueiro reserva Bressan.

A imbecilidade tomou conta e a histeria azul parecia interminável, “Vamos acabar com o Planeta” diziam em alto e bom tom após vencer esquadras poderosas como Guarany-PAR, Godoy Cruz, Zamora, Botafogo, Barcelona do Equador e o gigante time de bairro, Lanús. Observem que não estou tirando o mérito - apenas sendo sarcástico - com um fato e não uma opinião.

Após vencer o Pachuca - mesmo time que foi derrotado pelo Inter na Recopa de 2007 - com as calças na mão passaram a aumentar o tom de que o vexame do Mazembe era algo único reservado a Inter e Atlético-MG. Coincidentemente o time azul percebeu ao mesmo tempo que adversários como Barcelona, Real Madrid, United ou City não se ganham no antidoping e estão a anos luz de ser um Hamburguer alemão. Cade a imortalidade? 

O fiasco de ter finalizado uma mera vez em 90 minutos de futebol se equipara a outros tantos como rebaixamentos e derrotas marcantes. O treino do clube de Madrid por certos momentos era evidente e constrangedor. Jogo mesmo durou até os 30 minutos quando de tanto correr atrás da bola os "pijamistas" se cansaram e ai os espaços apareceram.

Finalizando, comemorem sua 3° Libertadores, é justo, mas não esqueçam que para “acabar com o planeta” é preciso de muito mais do que isso. Se o feito do Inter diante de um time com Puyol, Thiago Motta, Ronaldinho, Deco, Zambrotta, Iniesta, Xavi, Belletti ou Valdes já tinha dimensões enormes hoje ressuscitou com um gostinho a mais.

Bressan, Luan e o Renato agora possuem zero Mundial de Clubes e o Ediglê, Perdigão e Gabiru ??

Grêmio igualou a façanha dos seus heróis do Mazembe: vice-campeão mundial.

Não conseguem demolir o Olímpico e queriam acabar com o Planeta?

Bom fim de semana para todos e agora foquemos no nosso Inter!

Por https://twitter.com/Celta_Bardo