O treinador do Corinthians não escondeu a frustração pela eliminação para o Internacional na noite desta quarta-feira. Em entrevista coletiva após o fracasso ante os gaúchos,  o comandante alvinegro foi sincero, lamentou as inúmeras chances desperdiçadas pelo setor ofensivo e falou em “juntar os cacos” para domingo.

“Primeiro tempo jogou bem igual, as duas equipes com oportunidade de finalizar, fazer gols. Segundo tempo tomamos o gol numa segunda bola, que o Nico chutou dentro da área, bateu no Fagner e entrou. Depois fiz substituição para deixar o time mais ofensivo. Criamos três, quatro possibilidades de gols, e não fizemos”, analisou Carille.

“Quero parabenizar o grupo pela dedicação. É ruim perder a classificação dentro de casa, mas domingo tem outra. Vamos levantar a cabeça”.

“O ambiente no vestiário era de muita chateação, mas os mais velhos dizendo que é do futebol, infelizmente não aconteceu. Os mais experientes puxaram isso. Não tem culpados, o Corinthians perdeu a classificação para o Inter. Amanhã (quinta-feira) a cabeça ainda está um pouco cheia, mas depois é cabeça limpa”.

“Temos de aprender rapidamente. Não só eu, mas também os jogadores. Faz parte. A primeira coisa que falei aos garotos que perderam pênalti, dois garotos, Maycon e Arana. Nós erramos, não eles. O Corinthians saiu da Copa do Brasil, não eles. Amanhã ainda um pouquinho cabisbaixo, fomos para nove jogos sem perder, temos uma consistência legal e vantagem grande para domingo, mas temos de estar com a cabeça boa no sábado para fazer um bom jogo no domingo e passar para a final do Campeonato Paulista”.

"Depois da substituição do Clayton, a ideia era deixar o time mais ofensivo, dar mais gás pelo lado. O Inter encurralou, e erramos passes na saída de bola. Depois abrimos Marquinhos e Clayton, deixando Jadson por dentro. Criamos oportunidades, mas infelizmente não fizemos, e acabou indo para os pênaltis."

"O Corinthians tem uma ideia de jogo e a gente não pode mudar. Se as coisas não dão certo em cima do que você treina, imagina em cima do que você não treina. Não gosto de fazer nada que não treino. O time sabe o que fazer com bola e sem bola. É um mês de muitas decisões, um pouco de desgaste, o Inter com mais tempo de recuperação que nós, sabíamos da dificuldade, eles jogaram no sábado. Tivemos chance de ganhar, mas não conseguimos e perdemos nos pênaltis."

"Jogo grande que sempre é Corinthians e Inter, jogo decisivo, é assim: apareceu, tem que fazer. O time girou a bola, criou, chegou na área do adversário, mas faltou matar. É uma questão que estávamos melhorando, até no jogo contra o São Paulo a gente chegando com mais perigo. Hoje voltamos a chegar, mas precisamos de paciência e tranquilidade pra fazer os gols em cima das oportunidades que aparecem."

"É o momento mais difícil da minha carreira, com certeza. Uma carreira muita curta. Mas estou satisfeito com tudo que está acontecendo, pela entrega, pela determinação, com o entendimento da ideia de jogo por parte do grupo. Hoje empatamos depois de nosso melhor jogo fora de casa antes do São Paulo. Fizemos gol logo e pudemos aumentar o placar com o Romero, não aconteceu, depois o Inter cresceu e não conseguimos encaixar a marcação. No segundo tempo erramos contra-ataques e depois que tomamos o gol tornei a equipe mais ofensiva, sim. E aconteceu em cima das oportunidades que nós tivemos."

MEU TIMAO.COM.BR