O Vice-Presidente Jurídico do Inter, Gustavo Juchem, falou ao programa da Rádio Guaíba, Ganhando o Jogo, e a Rádio GreNal, sobre o julgamento caso Victor Ramos.  Confira suas principais declarações:

"Estamos torcendo para que a decisão seja proferida no dia 4, mas dependerá da duração da audiência. Se não houver uma posição na data, será dada imediatamente depois. Em tese, qualquer uma das partes derrotadas poderia buscar recurso na Corte de Recursos da Suíça. De parte do Inter, isso não ocorrerá".

"A primeira delas aponta para a possibilidade de o tribunal entender que não deve analisar o caso. Uma segunda possibilidade será o tribunal aprecisar o processo e entender que o Inter não tem razão. A terceira seria ele (tribunal) dar ganho de causa ao Inter, julgando diretamente a questão e punindo o Vitória por utilizar o atleta Victor Ramos de maneira irregular. O time baiano perderia três pontos por cada partida em que utilizou o jogador e acabaria rebaixado. A quarta alternativa indica a chance do caso voltar ao STJD, que aí seria obrigado a julgar",

"STJD e Procurador do órgão estão acompanhando o caso de longe, não estarão presentes."

"O Vitória foi o único que resistiu à data [04/04], mas certamente estará presente no julgamento."

"A constituição do Brasil prevê um prazo máximo de sessenta dias na Justiça Desportiva."

"Se criou uma imagem de que o Inter queria arrumar subterfúgios para fugir do rebaixamento. Isso não é verdade."

RÁDIO GRENAL

"Nós não tememos porque não devemos".

"Existe a possibilidade de se realizar um acordo antes da data do julgamento, mas eu não acredito que vá acontecer".

"O Internacional nunca procurou a CBF e o Vitória para buscar um acordo, mas se houver uma proposta formal vamos considerar".

"Nós temos dois advogados contratados, que atuam por lá, que vão representar o Inter nestes casos".

"O Vitória deveria tentar uma exceção com a FIFA, mas eles não conseguiram e com isso a CBF realizou uma transferência nacional".

"O Vitória não pode alegar ignorância ao caso, pois eles consultaram à CBF e a entidade respondeu que não era possível".

"O estatuto do torcedor não pode se sobrepor às decisões do TAS,então a CBF precisaria reorganizar o campeonato".

"Todas as entidades e clubes devem se submeter às decisões do TAS, então se tivermos uma decisão favorável, a CBF precisa acatar".

"O Inter está se apoiando junto ao Bahia, que também entrou com recurso referente ao campeonato baiano".

"Esta questão de voltar a série A está nas mãos do Tribunal Arbitral do Esporte, mas a possibilidade existe".