Texto por Colaborador: Redação 10/04/2020 - 00:42

É impossível fornecer datas com certeza. A pandemia deixa o calendário da Conmebol encurralado. Não há previsões. Os prazos estimados também não podem ser cumpridos se o coronavírus continuar aumentando.

Argentina, Brasil, Chile e Equador, sem atingir o pico de infecções, já estão sofrendo as consequências, mas outros países estão em um ritmo diferente. Isso implica que tanto a Copa Libertadores quanto a Sul-americana estão em cheque pelo almanaque.

Embora Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, tenha sido otimista publicamente ao apontar que o formato anual dos torneios permite ter certas margens, a cada dia que passa o panorama suscita maiores preocupações. E nem é encorajador.

Pode parecer inviável o retorno das rodadas e vários cenários já estão sendo considerados - do melhor ao pior - para ver como retomar a atividade no futuro. Nesse contexto, surgem propostas e idéias, incluindo uma em particular.

Marco Trovato, dirigente do Olímpia (Paraguai), ofereceu uma possibilidade única: "Não acho que você possa jogar novamente em um formato normal, viajando para todos os países. Estou falando de uma hipótese em uma situação que não é normal".

"Então, seria como uma Copa da América, uma Copa do Mundo. Reunindo as 32 equipes da temporada regular em um país. Então, você jogaria os quatro jogos restantes da primeira rodada ou uma desta última fase e depois a oitava, quarta, semis ", propôs Trovato, em diálogo com o Cardenal Deportivo.

Hoje a intenção de Trovato parece apressada, mas não é exagero no caso de as contas do calendário começarem a gerar uma situação sem solução dentro dos parâmetros usuais. Como a Libertadores continuará? Por enquanto, antes de junho, não há chances.

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

945 pessoas já votaram