Texto por Colaborador: Redação 08/01/2021 - 00:26

A vitória colorada em Fortaleza contra o Ceará pelo placar de 2 a 0 nesta quinta-feira (7) fez o Inter encostar na liderança do Brasileirão. Depois do São Paulo perder por 4 a 2 para o Bragantino, o resultado deixou o Clube do Povo a apenas seis pontos da liderança (50 contra 56 da equipe do Morumbi). Apesar disso, o técnico Abel Braga pediu cautela sobre as chances de título brasileiro, além de elogiar o elenco de jogadores, os jovens da base e a partida pela 28° rodada. Confira os principais trechos e a coletiva completa:

ENTREVISTA

TEXTO

“A política não entrou no campo. As pessoas que entraram são do bem. Nós estamos com o pé muito no chão. Sofremos demais no primeiro tempo. Nós vamos buscar jogo a jogo. Nós não vamos fazer desse jogo uma coisa espetacular, porque hoje nós sofremos muito mais do que no jogo contra o Bahia."

Período final de contrato: “Não são dois meses que vão ter influência sobre minha carreira. Estou feliz em estar em uma casa que nunca saiu de dentro de mim. Espero me tornar o treinador que mais dirigiu esse clube. O que eu senti é que, antes, eu estava feliz por estar aqui. Agora, estou muito mais, por encontrar o ambiente que encontrei".

Atuação: "Hoje, se você reparar, não fizemos uma marcação alta. Fizemos uma marcação média. Mas, quando tentamos subir um pouco, escorregamos muito".

"O segundo gol é uma bola que, normalmente, o Ceará usa contra os adversários. Essa bola metida no Cléber. Hoje, foi o contrário. A bola foi metida no Abel e ele seguiu com o Yuri, que entrou por dentro e matou o [Bruno] Pacheco".

Uso da base: "Foi tanto garoto que já botei aqui. Mas claro que os mais famosos foram Pato e Luiz Adriano. Isso é a razão de ser do futebol hoje. A solução econômica que todo clube tem [em um período de pandemia] é um trabalho nas categorias de base (...) "No momento, estou muito contente com eles [jovens]. Estou contente com o Peglow, o Mazetti é muito bom jogador, tem o Heitor. Tem muitos, muitos jogadores de qualidade.  O Yuri tem sido muito feliz, tomara que continue. Mas vamos com o pé no chão".

"Nós não nos comparamos com ninguém. Nós não podemos ser iguais a ninguém. Somos aquilo que somos. Só somos iguais a nós mesmos (...) Não teve balbúrdia, não teve ambiente ruim. A recuperação veio com naturalidade. Sabe qual é a minha função realmente? É agir com verdade com eles [jogadores]".

Sobre boa sequência: "A gente não está dentro do campo, esse mérito é todo deles [jogadores] (...) Não gostaria que falassem muito do Inter, gostaria que fosse como antes [da segunda colocação no campeonato]. Eu não sei onde nós vamos chegar. Mas estamos, jogo a jogo, dando o nosso máximo (...) "A melhor coisa que pode acontecer na relação time/treinador é o jogador acreditar naquilo que você passa para ele".

Utilização de Mazetti e Heitor: "Falta o Rodinei dar brecha pra eles. Ele tá me dando uma resposta muito positiva, isso é questão de opção. É que o Rodinei está me dando garantias, só isso."

Rodinei: "Mais uma vez, ele se saiu muito bem. Como se saiu contra o Boca, na Bombonera, marcando um cara que acabou com o nosso time no primeiro jogo".

Caio Vidal: "Esse menino ainda renderá mais, falta ainda alguma coisa. Ele se entrega completamente ao jogo, já está nos dando uma resposta muito boa."

Sobre Caio Vidal e Yuri Alberto: "São de características diferentes. O Caio é de velocidade, e o Yuri é de um oportunismo, de uma entrega".

Duelo do fim de semana: "Será que o Goiás vai nos atacar? Eu gostaria que atacasse. Mas, se não atacar, vamos ter de propor o jogo.”

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

846 pessoas já votaram