Texto por Colaborador: Redação 10/01/2021 - 21:30

Neste domingo (10) o Colorado voltou a vencer pela Série A, ao bater o Goiás, por 1 a 0, no Beira-Rio, pela 29ª rodada da competição. Graças ao gol de Praxedes o Clube do Povo alcançou sua 5 vitória seguida na competição, mas os 90 minutos não foram fáceis. Em um confronto parelho, o técnico Abel Braga viu no adversários os atributos que dificultaram uma atuação consistenta pelo lado vermelho. Confira o que disse o comandante vermelho sobre o jogo aos jornalistas: 

ENTREVISTA COMPLETA

TEXTO

Vitória sobre o Goiás: "Foi muito importante (o resultado). A imposição do jogo tem muito a ver com adversário. O time deles é muito bem encaixado, muito bem treinado. De onde pegam a bola, jogam lá em cima, para o Fernandão e o Moura. Isso quebra um pouco o jogo. Mas eles não tiveram chance. Nós tivemos três ou quatro na frente do gol, e não matamos o jogo. Você fica naquele negócio no meio-campo, se vai diminuir para retomar, ou esperar, porque eles vão jogar a bola lá em cima. Isso torna o jogo muito difícil".

"Nós queremos continuar tranquilos da maneira que tá. Não mudamos nada, nós estamos muito conscientes que só com uma entrega como essa que vai te dar resultado."

"Nós apostamos que eles jogariam com três zagueiros posicionados, mas nunca que abririam um deles para marcar o Patrick e adiantariam o Shaylon. No final, a formação deles ainda tinha um tripé no meio, e ainda assim não abriram mão dos homens grandes na frente. Nossa única saída no primeiro tempo era o Rodinei. Depois, acabamos recuando o Caio, que estava quase ao lado do Galhardo, para conseguir montar a equipe como esperávamos".

"Não é surpresa (o bom rendimento do Goiás). Nós estamos numa arrancada muito boa, e o Goiás também. Vendo o jogo, não se crava, sem a classificação, que esta equipe está na zona de rebaixamento. Eu conversei com o pessoal da comissão técnica deles, não acredito que eles caem. Se mantiverem isso, não tentem se meter atrás, jogando dentro das características deles, tem tudo para não cair (...) A estratégia era essa, você matar o jogo em um daqueles contra-ataques, mas não matamos."

“É uma equipe que está tendo atitude. É uma equipe que está começando a encaixar contra-ataques. As melhores oportunidades nossas foram pelo lado direito com o Rodinei e com o Caio."

Trocas: "O Lindoso não vem saindo jogando comigo, mas toda situação de jogo complicado ele tem entrado e acalmado as coisas para nossa equipe. Nonato melhorou muito no segundo tempo. Tirei porque faltaria ritmo. Achei melhor segurar. Eu já ia colocar o Peglow”.

Uso da base: "Nós temos um grupo qualificado. Claro que a maioria da formação do grupo são garatos. Mas eles tem sido fundamentais. Claro que tem um cuidado em relação a isso, mas não temos medo de lançar".

Rendimento de Praxedes: "Ele está evoluindo, hoje ele já teve uma atuação melhor. Praxedes foi melhor que nos outros jogos. Fiquei satisfeito, está melhorando”.

Moisés e Rodinei: “Se estão jogando, é porque estão me satisfazendo plenamente. Aqui não tem dono de posição. A gente vai jogo por jogo."

Crítica:"Aquilo ali é coisa séria. 1x0 e você faz jogada de letra, tem cara ai que vai ter a orelha puxada, tem que matar o jogo", sobre alguns detalhes do jogo.

Sobre críticas a sua vinda: "Não leio e não escuto nada sobre o Inter. Quem me ensinou isso foi o Rubens Minelli. O Inter, em todas vezes que passei aqui, sempre foi administrado de dentro pra fora”.

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

843 pessoas já votaram