Texto por Colaborador: Redação 27/08/2021 - 20:25

O ex-colorado Alisson Becker sabe que a decisão de representar o Brasil na próxima janela internacional está fora de suas mãos, mas é uma posição difícil de aceitar.

O número 1 do Liverpool foi um do trio da equipe inglesa a ser convocado na lista de Tite para a tripla partida das eliminatórias da Copa do Mundo no mês que vem, jogos que resultariam em sua ausência para uma rodada da Premier League.

Mas com seus jogos ocorrendo em países na lista vermelha do governo do Reino Unido, e sem isenção de quarentena, o Liverpool tomou medidas para garantir que eles permanecessem na Ilha da Rainha.

A mudança foi confirmada mais tarde com os clubes da Premier League "relutantemente, mas unanimemente", chegando à conclusão de não liberar jogadores internacionais que deveriam rumar para os países da lista vermelha.

É no melhor interesse do bem-estar do jogador em meio à pandemia em curso e, embora a decisão esteja fora das mãos do ex-colorado, o cabo de guerra de querer jogar pelo Brasil e pelo Liverpool ainda está em sua mente.

“Honestamente, me sinto mal porque quero jogar pela minha seleção nacional. Quero jogar pelo Liverpool ”, disse Alisson à Sky Sports.

“Não quero ser punido para tomar uma decisão, mas pelo que sei não é nem mesmo uma decisão.

“Não podemos escolher muito neste momento.”

Representar o próprio país é uma honra que poucos experimentam e todos certamente simpatizam com a situação em que os jogadores se encontram.

Mas com a pandemia ainda muito prevalente, é a opção sensata, apesar da frustração que alguns jogadores podem sentir com a decisão estar fora de suas mãos.

As palavras de Alisson mostram o conflito que às vezes existe entre querer representar o clube e o país.

O Brasil estava confiante de que seus jogadores cumpririam sua convocação, mas o pedido da FIFA ao governo do Reino Unido para permitir isenções para jogadores continua a ser rejeitado, e pode ser o caso de quem pisca primeiro, já que a FIFA possui o poder de proibir jogadores de jogar pelo seus clubes.

A situação, porém, deverá se repetir novamente em outubro e novembro e no próximo mês abrirá um precedente.

Categorias

Ver todas categorias

Tu apoia a mudança do escudo com a retirada da borda?

Sim

Votar

Não

Votar

67 pessoas já votaram