Texto por Colaborador: Redação 30/05/2021 - 19:00

A Ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzotti plantou um manto de dúvidas quanto à realização da Copa América, que está prevista para começar no dia 13 de junho.

Para a política, "não está 100% definido" que a Copa América aconteça em solo argentino. “Entendo que quem tem que tomar a decisão está na última seção de análise. Nós, do Ministério da Saúde da Nação, estamos há meses gerando protocolos e articulação com outros ministérios: Interior, Migração, Transporte, ANAC, Defesa em relação aos controles ”, explicou.

Em todo caso, Vizzotti também sustentou que “um grupo muito importante de pessoas vem trabalhando há muito tempo, além das medidas de entrada no país e das regulamentações que devem ser cumpridas, agregam-se protocolos específicos no que são concentrações e treinamentos , transferências, jornalistas e prevenção de multidões. Esse trabalho está sendo feito como se estivesse se realizando a Copa América, e a decisão final será nestes dias". A ministra ainda esclareceu: “O que analisamos é o que comentamos repetidamente. Que o número de pessoas que a organização pode mobilizar não é tão importante. O cumprimento dos protocolos pode ser implementado, tendo também em conta que é importante para esclarecer, que uma seleção que vai se concentrar e não vai sair do hotel não é a mesma que acontece nos torneios locais, onde os jogadores vão para casa e vão treinar ”.

Na mesma linha, Vizzotti concluiu: “Essa é a grande diferença em termos da possibilidade de se infectar em uma área de importante circulação comunitária. As seleções não vão para casa e depois vão embora. Por isso os fortes protocolos que estamos fazendo é com a área de imprensa, para estarmos prontos, seja qual for a decisão, para podermos ter resultados ”.

O país vizinho, que tem 45 milhões de habitantes, vive o pior momento da pandemia, com registro de 41.080 infecções na última quinta-feira, atingindo mais de 3,7 milhões de casos positivos e 77 mil mortes desde o surgimento do coronavírus. Uma pesquisa de opinião pública divulgada na sexta-feira revelou que 70% dos argentinos rejeitam a realização da Copa América no país em meio à onda de infecções. A Conmebol já anunciou que a Colômbia não sediaria o torneio em conjunto com a Argentina -devido aos protestos sociais pelas políticas frente a população. 

Caso o torneio não seja realizado, Carlos Palácios e Paolo Guerrero retornariam antes de suas convocações, ficando de fora de apenas 4 jogos (Vitória, Fortaleza, Vitória e Bahia). 

Categorias

Ver todas categorias

Aguirre é a escolha certa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

5 pessoas já votaram