Texto por Colaborador: Redação 08/01/2021 - 00:48

O destino traçou que Caio Vidal faria seu primeiro gol entre os profissionais justamente em sua terra natal, contra o Ceará, no Castelão. Marcando pela primeira vez com apenas 6 jogos após ser descoberto por Abel Braga, o atacante cearense de apenas 19 anos dedicou a conquista à família, ao próprio treinador colorado, deixando transparecer seu sonho em um futuro próximo no Beira-Rio. Confira os principais trechos:

"Há um tempo eu estava neste estádio assistindo Fortaleza e Ceará com meu pai, que hoje está no céu. Ele era Fortaleza "doente". Quero dedicar este gol a ele também, acho que ele está muito feliz e orgulhoso lá de cima. E minha mãe, que é uma guerreira e criou quatro filhos. Hoje estamos realizando um sonho (...) Acho que o filho dela está conseguindo vencer. Vai conseguir tirar ela do bairro perigoso em que ela mora, que é onde eu me criei. Queria dedicar esse gol para ela. Mãe, a gente vai vencer e vai conseguir junto".

Chance dada por Abel: "Pra mim é bastante importante essa oportunidade que o professor Abel me deu, ele é um cara olho no olho. "É bastante importante essa oportunidade que o professor Abel me deu. Ele é olho no olho com a gente. 'Moleque, tu está errado, faz isso e isso'. No vestiário, no intervalo, ele falou: 'moleque, vai por dentro que tu vai fazer o gol'. A gente está bastante confiante. O 'Abelão' está dando confiança pra gente.”

"Acho que me encaixei bem no sistema do Internacional. A confiança que o Abel me passou foi gratificante para mim. Eu tenho que agradecer ao professor Abelão pela oportunidade, um cara sensacional."

"Na Copinha, o professor Fábio Matias gostava de me usar como 9 por causa da minha velocidade e da minha infiltração. Como o Inter contratou outro centroavante, ele começou a me usar pelo lado. Mas minha posição sempre foi de beirada. De quebrar a linha, levar para cima, como o Abel sempre me fala(...) Meu sonho é fazer história com a camisa do Inter, é dar muitas alegrias à torcida colorada".

"Na Copinha, eu estava focado, mas não era a posição que eu gostava de atuar [como centroavante]. Hoje, estou mais feliz na minha posição, na ponta direita. Essa é a posição que eu gosto, me sinto feliz, à vontade"

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

844 pessoas já votaram