Texto por Colaborador: Redação 08/04/2021 - 01:58

Giovane Zanardo, CEO do Inter, concedeu entrevista nesta quarta-feira (7) ao programa Atualidades Esportivas, da Rádio Bandeirantes, explicando os motivos que levaram as demissões de quase 60 funcionários do clube após à grave situação financeira revelada no Beira-Rio. Após cinco anos de déficits seguidos, o clube tenta estancar o problema em um momento de grave crise mundial devido à sindemia. Confira suas explicações sobre o tema: 

"Não é uma ação agradável para nós, não gostaríamos estar tomando essa decisão (sobre as demissões) que estão sendo necessária. Para explicar essa medida precisamos voltar no período eleitoral quando foi apresentado um projeto. Lá vamos lembrar que o presidente Barcellos repetia uma expressão que dizia que "nós não podemos mas negociar com o tempo", projeto esse que foi validado pelo sócio para ser executado. E ele falava e abordava as dificuldades financeiras do Internacional pelos últimos anos e agravadas agora pela pandemia. Desde o inicio da gestão do Alessandro Barcellos tem sido tomadas decisões contra o déficit, desde reduções do grupo de atletas, com as negociações que os contratos permitem, e agora constantemente tivemos aprovada uma peça orçamentária que temos para executar. E lá se compararmos com o que tínhamos no ano passado quando se projetava um ano mais ameno de pandemia, com grande número de vacinações, não foi isso que ocorreu agora e por isso se precisou fazer alguns ajustes, fazendo uma estimativa atualizada de 40 milhões a menos de receitas. Assim só temos uma alternativa, que é reduzir custos de despesas, ou isso se traduz em déficit. Por conta dessa condição e desse orçamento aprovado, a gente precisa tomar algumas decisões e que não gostaríamos, mas absolutamente necessárias. Nós não tivemos apenas desligamentos hoje. Não tenho o número exato ainda, mas é de aproximadamente 50 profissionais."

Ainda segundo Zanardo, via JB Filho, estes cortes representam uma economia mensal de mais de R$ 1 milhão nos custos de folha salarial, enquanto se somarmos as reduções de agora, com a redução da folha salarial, que teve um corte de mais de R$ 2 milhões mensais (era de R$ 9 milhões e veio para R$ 7 milhões), vamos chegar a quase R$ 5 milhões de redução nos custos desde que a atual gestão assumiu. Como a pandemia segue castigando o Brasil e o mundo, a previsão é que o Inter vai perder R$ 40 milhões em receitas ao longo de 2021.

Confira suas declarações na íntegra: 

Categorias

Ver todas categorias

Tu gostou da nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

254 pessoas já votaram