Texto por Colaborador: Redação 15/11/2021 - 10:00

Os clubes deram um passo para avançar na possível venda de uma parte da Liga do Brasileiro em um acordo feito com a empresa Kodajas. Esse acordo inicial já prevê um modelo de distribuição de dinheiro entre os times da liga. A fórmula é inspirada na Premier League.O acordo foi assinado há um mês pelos seguintes clubes: Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Red Bull Bragantino, Flamengo, Vasco, Botafogo, Grêmio, Inter, Atlético-MG, Cruzeiro, Bahia, Ceará, Fortaleza, Cuiabá, Atlético-GO e Chapecoense. São portanto 15 times da Série A, e três equipes da Série B. O documento é uma carta de intenções para receber uma oferta da empresa Kodajas para compra de percentual de parte da Liga. A ideia é que a empresa ofereça um investimento de US$ 1 bilhão (R$ 5,4 bilhões). Em troca, ficaria um percentual de até 25% da liga, isto é, de todos os seus rendimentos. Ainda não há uma obrigação de venda.

Se esse acordo for adiante, já estão firmados os termos de como seria a distribuição do dinheiro entre os clubes. O modelo é inspirado na Premier League. A fórmula do campeonato inglês é de 50% da receita divida de forma igualitária, 25% por exibição de partidas e 25% por posição na tabela. Não foi possível obter os exatos termos, mas a distribuição se daria desta forma.

Esse tipo de acordo é um avanço para a Liga dos clubes porque havia temor de discordância na hora da divisão de receitas. Atualmente, clubes como Flamengo e Corinthians têm garantias de pagamentos superiores dentro do pay-per-view. Os contratos de TV Aberta e Fechada com a Globo, no entanto, já preveem distribuição do dinheiro com regras por exibição e posição.

Caso o acordo com a Kodajas não avance, os clubes ainda podem usar o seu sistema de divisão para a Liga independente de quem seja o comprador. O investimento inicial de R$ 5,4 bilhões seria destinado aos clubes para melhorarem sua estrutura inicial. O dinheiro foi captado juntamente ao fundo Advent. Esse é um grande atrativo para a adesão à Liga. Mas, internamente, houve discussões se não seria melhor desenvolver a liga antes de vender uma parte dela.

Certo é que a carta de intenções assinada com a Kodajas é um primeiro passo. Ainda haverá uma negociação por valores, percentuais e prazos. Além disso, se tudo der certo, os clubes teriam de decidir se assumem de fato a organização do campeonato, ou se a liga apenas fará a venda comercial. A preferência é pela primeira opção. (Via Blog Rodrigo Mattos)

Categorias

Ver todas categorias

Tu apoia a mudança do escudo com a retirada da borda?

Sim

Votar

Não

Votar

590 pessoas já votaram