Texto por Colaborador: Redação 25/03/2020 - 02:15

Segundo informações do portal Globoesporte, a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol não admite o corte de salário dos jogadores neste início de paralisação. A segunda proposta dos clubes trazia um ajuste de 50% para 25% de desconto do salários dos atletas, mas os jogadores querem discutir garantias para receberem pela antecipação das férias coletivas. Além disso, a contraproposta prevê também um prazo menor para os clubes efetuarem o repasse de verbas aos atletas.

"Não vamos discutir redução salarial agora. Alguns jogadores comentam que tem clube que não pagou o que tem do ano passado, como vou falar de redução salarial? O que vamos dizer na contraproposta, que ainda vai passar por sindicatos e grupos de jogadores, é pedir ampliação das férias, receber mais rápido e ter garantias sobre esses pagamentos – explicou o advogado Décio Neuhaus, da FENAPAF (Federação Nacional dos Atletas Profissionais).

De acordo com eles, os atletas não admitem discutir 25% de desconto, pois a maioria dos clubes no Brasil devem de dois a três meses de salários, ou mais. Alguns representantes de jogadores entendem que ainda não há prejuízo financeiro aos clubes, pois não houve cortes de verbas de transmissão, de patrocinadores e nem de outras receitas. Por isso, não concordam com os futuros descontos nas remunerações de seus atletas.

Assim, o modelo de negociação - direta entre cada clube e os jogadores - deve se tornar uma tendência também em outros estados. Ou seja, os atletas, contando com o auxílio de cada sindicato estadual, negociarão diretamente com suas respectivas diretorias para decidir o que será feito com relação aos pagamentos durante a paralisação ocasionada pela pandemia do coronavírus.

Enquanto isso, os clubes estão sem bilheteria, alguns patrocinadores estão pulando fora e não se sabe como ficará a verba do pay-per-view, nem quando os times voltarão a campo. 

Categorias

Ver todas categorias

Você gostou da 3° nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

885 pessoas já votaram