Texto por Colaborador: Redação 30/06/2020 - 19:00

A visita de dirigentes de oito clubes de futebol - Inter, Santos, Palmeiras, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Athletico-PR e Bahia - ao Palácio do Planalto, nesta terça-feira (30), não se formou ao acaso. Tratam-se justamente agremiações que atualmente estão em litígio com a Turner, empresa que detém os direitos de transmissão das partidas das oito equipes em TV fechada no Brasileiro. Um dos propósitos do encontro era, portanto, levar detalhes dessa briga ao governo, expondo que o grupo norte-americano não tem demonstrado interesse em investir e valorizar o futebol brasileiro.

Outro dos intuitos dos dirigentes com a visita foi expressar apoio unânime à MP 984/2020, publicada há 12 dias, que concede aos mandantes das partidas o poder de negociar unilateralmente os direitos de exibição de seus jogos disputados em casa, obtida após lobby de dirigentes do Flamengo junto ao presidente da República.

O grupo também conversou sobre temas tratados no Projeto de Lei 3.832, que altera a lei da TV Paga, permitindo que empresas de telecomunicações invistam diretamente em conteúdo brasileiro.

Na conversa, Bolsonaro, mais uma vez, expressou o desejo de que os campeonatos sejam retomados o quanto antes. Mas enfatizou que cabe aos governadores e prefeitos negociar as liberações.

Os oito clubes foram representados por Robinson Passos de Castro e Silva (presidente do Ceará), Marcelo Cunha da Paz (presidente do Fortaleza), Eduardo Bastos De Barros e Samir Namur (presidente do Coritiba), Aguinaldo Coelho de Farias (presidente do Conselho Deliberativo Athletico), Maurício Galiotte e André Sica (presidente e advogado do Palmeiras), Guilherme Bellintani (presidente do Bahia), Matheus Del Corso Rodrigues (membro do Comitê de Gestão do Santos) e Marcelo Feijó de Medeiros (presidente do Internacional).

O encontro durou cerca de duas horas, das 11h às 13h, e incluiu também um almoço. Além de Farias e Bolsonaro, participaram da reunião o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, e alguns assessores.

Fonte: Diego Iwata Lima / ESPN BR e UOL

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

1863 pessoas já votaram