Texto por Colaborador: Redação 22/02/2021 - 03:04

Dois jornalistas - um gaúcho e outro mineiro - discorreram sobre os lamentáveis acontecimentos na derrota colorada deste domingo (21) no Maracanã, por 2 a 1, com interferência direta do árbitro Raphael Claus em expulsar o lateral Rodinei aos 4 minutos da etapa complementar. Relembrando outro ano traumático para os colorados (2005), ambos foram direto ao ponto:

MILTON NEVES (via UOL): "O que aconteceu no Pacaembu em 20 de novembro de 2005 jamais sairá da cabeça dos colorados. Naquele dia, o polêmico Márcio Rezende de Freitas teve a segunda pior atuação de sua carreira como árbitro (a primeira, claro, aconteceu em Santos x Botafogo, 10 anos antes). Afinal, até hoje é difícil de acreditar como ele não viu o claríssimo pênalti do corintiano Fábio Costa em Tinga, no jogo que foi considerado como a "final"do Brasileirão daquele ano. O pior é que, por simulação, Rezende acabou ainda expulsando o destaque do Inter naquele duelo!

Uma das maiores vergonhas da história!

E não é que, 16 anos depois, a história se repetiu com o clube gaúcho? Desta vez, o algoz colorado foi Raphael Claus, que, no Maracanã, mostrou absurdo cartão vermelho para o lateral Rodinei, "matando" o Inter, que até então empatava com o Flamengo, na partida. Incrível, mas outra imensa barbeiragem da arbitragem impede que a equipe vermelha de Porto Alegre saia do jejum de títulos brasileiros, que se arrasta desde 1979.

E, curioso, nas duas oportunidades, em 2005 e na atual edição do nacional, o apito acabou entregando a taça para um de seus "queridinhos". E é claro que não estou querendo tirar os méritos da maravilhosa equipe de Rogério Ceni. Mas, convenhamos, o que vimos hoje no Maracanã foi revoltante!"

JUREMIR MACHADO (Correio do Povo, via twitter): "É proibido ganhar do carioca e de paulista.

O VAR serve ao seus senhores: se omite quando convém; interfere quando exige uma operação; marca algum impedimento evidente para provar que é técnico e neutro.

Contra Rio-São Paulo sempre funciona o efeito casablanca: prejudiquem os trouxas de sempre. Globo com a mitologia preparada: a construção da hegemonia flamenguista.

Contra o Atlético PR um pênalti não marcado para o Inter; contra o Sport um gol em que a bola saiu; contra o Vasco um pênalti inexistente e um amarelo injusto que tirou cuesta de hoje; contra o queridinho Flamengo uma expulsão num lance no qual nem falta seria marcada. Nada mais devastador na cultura brasileira do que o bairrismo de cariocas e paulistas.

2005, 2009, 2021: Corinthians, Flamengo, Flamengo. Coincidências. Vou ver Bridgerton para me distrair com outra história caricatural.

Filipe Luís ficou envergonhado quando viu o vermelho para Rodinei. Cobertura imparcial da Globo tinha um comentarista flamenguista, um ex-gremista e um narrador carioca torcendo pelo time de casa."

Categorias

Ver todas categorias

Tu gostou da nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

267 pessoas já votaram