Texto por Colaborador: Redação 15/01/2021 - 17:00

O zagueiro Víctor Cuesta foi o atleta convocado para falar aos jornalista na tarde desta sexta-feira (15). Apos o desfalque de Rodrigo Moledo no setor, o argentino avaliou seu novo companheiro de defesa, Lucas Ribeiro, aproveitando para elogiar a importância da vinda de Rodrigo Dourado no time além de uma auto-análise sobre sua fase instável após a parada pela pandemia. Confira suas principais declarações:

ENTREVISTA

TEXTO / RESUMO

Momento ruim recente: "Eu estava vivendo uma fase ruim. Eu sou autocrítico e sei quando as coisas não acontecem como eu quero. Eu trabalhei muito, infelizmente as coisas não aconteciam como eu queria. A maioria dos meus erros foi por sair jogando errado ou tomar decisões erradas. Não estava dando nada certo. Oscilei bastante. Sempre mantive boa regularidade, infelizmente após a pandemia não consegui manter o mesmo desempenho. Coisas que eu nunca tinha feito no Inter. Mas já passou. Estou trabalhando mais forte ainda e acho que agora engatei uma sequência de bons jogos e o importante é mantê-la."

Briga pelo título e fase: “Estamos em uma crescente. Pensando grande, mas um passo de cada vez. Vamos lutar para conquistar mais vitórias e brigar pelo título do Brasileirão”.

"Tomamos poucos gols em todo Brasileirão. Tanto com o Chacho, como com o Abel. Estamos trabalhando bem. Se defendermos bem, sabemos que temos atacante pra resolver lá na frente. "Acho que todas as equipes no campeonato oscilaram em alguma momento. Nós também. Agora estamos em uma crescente e esperamos continuar assim. Agora é trabalho, se focar para domingo fazer uma grande partida".

 “Temos 9 rodadas. Tem vários confrontos diretos. Temos que pensar jogo a jogo. O último jogo contra o Goiás foi complicado. Fortaleza também será muito difícil”.

Importância de Dourado: “A melhor da defesa passa muito pelo Dourado. A função que o Dourado faz não tem muitos no Brasil que conseguem fazer."

Trabalho com Abel: “Abel sabe o tipo de jogador que eu sou. Eu estava em uma fase ruim. Procurei trabalhar com silêncio e humildade. Faço autocrítica e sei quando estou mal."Obviamente que mudou, agora estamos jogando um pouco mais recuado, com as linhas baixas. Mas o problema antes não foi o sistema defensivo. Os erros que eu tive foram tomadas de decisões. Erros meus. Não é culpa de ninguém. A gente não sofria bola nas costas. Um pra um. Eram erros meus”.

Mudança na dupla de zaga: “A gente ainda está se conhecendo treino a treino. Espero fazer uma grande partida contra o Fortaleza. O Lucas já mostrou o jogador que ele é. Fez uma grande partida conta o Atlético-MG e também contra o Bahia, em Salvador. O torcedor sabe o quão importante é o Moledo para o grupo, mas todos estão preparados. Todo mundo sabe que o Moledo é muito importante, mas nós temos que dar conta do recado e dar o máximo na briga pelo título. Obviamente, uma perda muito importante (Moledo), já falei com ele, ele tá muito triste. Mas a gente tá dando força e com certeza ele vai voltar ainda mais forte."

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

2638 pessoas já votaram