Texto por Colaborador: Redação 13/03/2020 - 19:30

D'alessandro foi o escolhido para falar na tarde desta sexta-feira (13), pós-treino no CT Parque Gigante e empate no GreNal pela 2° rodada da Fase de Grupos da Copa Libertadores. Falando sobre diversos temas, "El Cabezon" se mostrou crítico em relação a briga generalizada na Arena, enquanto também analisou o placar como injusto para o Inter. Confira abaixo: 

ENTREVISTA

RESUMO / TEXTO

Briga no GreNal: "Nada justifica o que aconteceu. Deste lado, estamos envergonhados, e imagino que também estejam do outro lado. A gente passou a imagem que não é nossa. A imagem de Porto Alegre, a imagem do gaúcho".

"Eu concordo com ele (Renato) que ninguém quer apanhar, mas também concordo que ninguém está isento pelo o que aconteceu (...) Eu acho que vocês (jornalistas) têm uma pequena parcela do que acontece, pois o torcedor já vai pilhado. Vocês discutem quando a camisa é diferente. Isso não é exemplo também. Nós temos que dar o exemplo, que não demos ontem. Não tem como isso voltar a se repetir.

Expulsões: "O prejuízo foi maior pra nós. Até, considerando o momento do jogo, o prejuízo foi maior pra nós (...) Eu tô aqui ileso. A maioria das mensagens que mandavam era de que eu não fui expulso, e que algo estava errado (brinca)".

Ser reserva e momento na carreira: "Isso é para aqueles que falavam que eu não renovei contrato pois o técnico é meu amigo. Ontem, ele me deixou de fora de um dos jogos mais importantes. Essas pessoas dizem que informam, mas isso não é informar. Em 20 dias, eu faço 39 anos. Não posso ter a mesma força e vitalidade de quando eu tinha 25 (...) Eu não preciso entender, quem precisa entender é o treinador. Eu quero jogar sempre, e ele sabe. Quando eu vou pro banco, ele vê a minha cara e sabe que não gosto de ficar de fora. Ele entende, mas quando precisar, preciso estar pronto. Eu sou parte de um grupo e preciso ser um exemplo aqui dentro. Volto a repetir, com erros e acertos, precisamos seguir no caminho da mesma maneira".

"O tempo fez bem pra nós e fez bem pro trabalho. É uma maneira diferente de se comportar igual dentro e fora de casa. Já se vê o Inter melhor, querendo ser protagonista, mas ainda temos coisas pra melhorar (...) Eu tive sorte. Quando cheguei, os caras tinham incorporado a coisa do GreNal. Os caras passaram isso pra mim - Magrão, Tinga, Índio, Edinho, Guiñazu e Nilmar. Figuras importantes pra história do Inter. O torcedor quer ver o time deste jeito".

Partida: "O Grêmio é um time que joga bem, que se conhece há muito tempo e que tem o melhor jogador no país, o Everton. Ontem, conseguimos neutralizar ele e jogamos melhor. Eu acho que, pelo contexto, merecíamos a vitória".

Renato Portaluppi:"Eu respeito muito ele, quando é sincero e não fala muito mal do meu time. Quando me respeita. A gente falou algumas coisas ontem e concordamos. Eu concordei até naquela coletiva quando teve problemas com jornalistas".

Coronavírus: "Eu acho que tem que suspender tudo. Não tem que jogar, como fizeram na Europa e em outros lugares. Não só nos esportes. Eu acho que deveriam suspender, mas é só a minha humilde opinião. O espetáculo é para o torcedor (sobre jogar com portões fechados).

"Imagina se nós jogadores ficasse atrás da vida pessoal dos jornalistas? Na verdade, sabemos muitas coisas mas não falamos (RISOS). É difícil pra nós também, quando vocês (jornalistas) deixam de informar. Não todos. Não são todos. Vocês não tão lá dentro. Eu tive, lá atrás, companheiros que não dormiam, mas chegavam no jogo e faziam 4 ou 5 gols".

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

673 pessoas já votaram