Texto por Colaborador: Redação 12/07/2020 - 00:37

Histórico atacante do Internacional nos anos 1970, Dadá Maravilha recordou momentos de seu período como atleta do Clube do Povo e de sua trajetória como jogador. Peça fundamental nos títulos do Campeonato Brasileiro e do Campeonato Gaúcho, obtidos em 1976, ele concedeu entrevista ao programa Velhas Súmulas, da Rádio Colorada, onde ressaltou o papel do técnico Rubens Minelli, além do companheirismo daquele grupo inesquecível. Confira alguns trechos do jogador peça chave da conquista do bicampeonato nacional:

"A minha apresentação foi muito boa porque eles (direção) me deixaram a vontade, falaram que confiavam em mim, eu sabia da minha responsabilidade de substituir o goleador Flavio, que era ídolo da torcida, e eu fui preparado e o carinho da torcida foi tão grande que eu comecei e falei que ia ser goleador, que ia ser campeão, aquele estilo do Dadá né (...) Eu cheguei até a jogar bola no Inter. Eu era só goleador e dava minhas caneladas, mas com Falcão, Valdomiro, Lula, jogadores extraordinários, eu aprendi".

Como o Inter pode repetir o título nacional, em 1976: "Os jogadores eram bons mas a realidade é que o treinador era fora de série. Ele sabia as virtudes e os defeitos de cada um, ele sabia motivar, o Minelli foi uma criatura humana maravilhosa e um técnico extraordinário. Os jogadores eram uma família, o Minelli reunia as famílias dos jogadores, então eu aprendi muito no Inter e muito com o Minelli".

Recordações: "Eu era muito entusiasmado, falava, aquele negócio todo, mas quando cheguei no Inter, vi um Figueroa, um Marinho, Manga, esses caras numa humildade, eu pensei, peraí, quem sou eu? Aprendei a respeitar a união, o coleguismo e profissionalismo daquele time". 

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

2968 pessoas já votaram