Texto por Colaborador: Redação 24/03/2020 - 02:25

Com os jogos suspensos por tempo indeterminado, os estaduais podem ocupar datas e inviabilizar o Brasileirão de pontos corridos com 38 rodadas. Enquanto qualquer previsão de retorno se mostra completamente irrealista, alguns clubes e dirigentes começam a abraçar um novo modelo de calendário para o país.

A nível pessoal, Klauss Câmara, diretor-executivo do Grêmio, defende que o Brasil deveria seguir a mesma fórmula do futebol europeu. Ou seja, o Campeonato Brasileiro teria início em setembro e terminaria em maio do ano seguinte. Jogos de Libertadores e Sul-Americana, além da Copa do Brasil, aconteceriam em paralelo. 

Além de Klauss, Botafogo e Flamengo gostariam que datas fossem alinhadas com o Velho Continente, como já faz a Argentina. Entretanto, a proposta encontra muitas resistências, com o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, chegando a descartar completamente em entrevista no último fim de semana. Menos enfático, Rogério Caboclo, presidente da CBF, diz que um consenso hoje está longe de ocorrer.

Em declaração ao GloboOnline, Carlos Augusto Montenegro, membro do conselho gestor de futebol do alvinegro carioca, defendeu o que chamou de oportunidade para o Brasil entrar no primeiro mundo.

Além disto, algumas sugestões vão no sentido de uma disputa compacta do Brasileirão, resumindo a competição a um único turno. Também há quem defenda a utilização de algum tipo de formulismo. O debate está ainda apenas no começo...

Categorias

Ver todas categorias

Gustagol é um bom reserva para Paolo Guerrero?

Sim

Votar

Não

Votar

2343 pessoas já votaram