Texto por Colaborador: Redação 11/08/2020 - 00:00

Há exatos 10 anos, no dia 11 de agosto de 2010, o Internacional praticamente colocava uma "mão na taça" ao vencer o jogo de ida da grande final da Libertadores, no estádio Omnilife. Com uma vitória por 2 x 1 de virada, com gols de Giuliano e Bolívar, diante do Chivas, o Colorado encaminhava a conquista do bicampeonato continental.

Com uma atuação espetacular o resultado foi até "decepcionante" tamanho o domínio gaúcho em território mexicano. A impressão dada era de que os comandados de Celso Roth poderiam ter garantido o título já no primeiro jogo - trazendo uma vantagem até mais expressiva - tão notável foi o nível do futebol apresentado.

O Colorado só não abriu grande vantagem no placar no primeiro tempo por falta de sorte. Logo aos 4 minutos, Kléber avançou pela esquerda e acertou a trave. Aos 29, Alecsandro mandou cobrança de falta no travessão. O time brasileiro jogava bem melhor, mas não transformou em gols. O Chivas se aproveitou e abriu o placar na única chance que teve, aos 45 minutos, quando Bautista aproveitou cruzamento e, na linha da grande área, cabeceou para encobrir Renan. 1 a 0.

Mas mesmo com essa ducha de água fria antes do intervalo, o Inter não desanimou e voltou para o segundo tempo disposto a mudar a história do confronto. Dominante, o time alvirrubro deixou tudo igual aos 27, quando Kléber cruzou na medida para Giuliano desviar de cabeça e fazer 1 a 1. E a virada veio quatro minutos depois, quando Bolívar, também de cabeça, fez 2 a 1. Até o apito final, foi segurar o placar para ficar perto de mais um grande título. 

Em Porto Alegre, no jogo da volta, o Inter venceu o Chivas por 3 x 2 e levantou pela segunda vez o troféu da Libertadores, fechando um ciclo incrível de títulos internacionais, iniciado em 2006 e que perdurou até 2011, com a Recopa. 

Copa Libertadores da América 2010 – Final – Partida de ida

Chivas 1 x 2 Internacional
Estádio: Omnilife, em Zapopan (periferia de Guadalajara)
Público: 49.500 mil
Árbitro: Héctor Baldassi, auxiliado por Ricardo Casas e Hernán Maidana – trio da Argentina.

Gols:
Internacional: Giuliano (72), Bolívar (76)
Chivas Guadalajara: Adolfo Bautista (45+1)

Cartões Amarelos: Internacional: Sandro (88)
Guadalajara: Marco Fabián (75), Mario de Luna (90+1)

Escalações:
Internacional: Renán – Nei, Bolívar, Índio, Kléber, Sandro, Pablo Guiñazú, Andrés D’Alessandro, Giuliano, Taison (Wilson Tiago, 86), Alecsandro (Everton, 34 -Rafael Sobis, 71-).
Técnico: Celso Roth.

Guadalajara: Luis Michel – Jonny Magallón, Mario de Luna, Héctor Reynoso, Miguel Ponce, Edgar Mejía, Xavier Báez (Ulises Dávila, 86), Marco Fabián (Dionicio Escalante, 78), Adolfo Bautista, Omar Arellano (Patricio Araujo, 68), Omar Bravo.

Categorias

Ver todas categorias

Você gostou da 3° nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

884 pessoas já votaram