Texto por Colaborador: Redação 13/01/2021 - 00:00

Em declarações no início desta semana aos programas Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, e ao GreNal FC, da Rádio Gre-Nal, o agora ex-técnico e gerente de transição do Internacional, Julinho Camargo, explicou como será a sua missão de fazer a transição entre os times das categorias de base com o principal colorado. Feliz de voltar ao Internacional e por poder trabalhar com novos talentos, confira um compilado com os melhores trechos em ambas entrevistas:

Trabalhar com os jovens: "É um assunto que fez parte de toda minha carreira, trabalhar com jovens entre 17 e 20 anos. Estou muito feliz com essa mudança na carreira, saindo da função de treinador para a de gerente, e estou me jogando de cabeça para fazer que este elo, essa ligação entre os setores do clube, funcione da melhor maneira possível (...) São dois mundos muito distintos, é importante que a gente auxilie a gurizada para que eles cheguem mais prontos para o nosso chefe Abel Braga (...) Todos os grandes clubes deveriam ter essa transição. Este processo acontecendo significa mais jovens se preparando e também ajuda pela questão financeira".

Ida ao Inter: "Eu estava na Tombense, tinha até renovado para fazer o Estadual, quando surgiu esse convite para trabalhar com a transição, o que me agrada muito. Fiquei muito contente e mergulhei de cabeça (...) Pretendo fazer não só que dê certo no nosso clube, mas que eu me torne uma referência nessa profissão."

"Eu cheguei na terça-feira passada e já vi os dois jogos com gols de meninos, isso é importante. O nosso treinador Abel também está de parabéns."

"O nosso clube sempre teve a formação de boa qualidade, isso é história, isso vem de longa data. Hoje eu encontro um trabalho com uma base de qualidade, o Inter foi campeão da Copa SP, o Fábio (Mathias, treinador do sub-20) é muito bom treinador. O treinador da equipe principal tem muitas atribuições e muitas responsabilidades, não tem tempo para ir a Alvorada (...) O mundo do jogador de base é um mundo completamente distinto do futebol profissional."

"Eu acho que o convite de retornar ao clube pela nova gestão do presidente Alessandro Barcellos foi de fazer parte de uma ideia de valorização de ativo do clube, que é o jogador formado na base. E mesmo tendo hoje o clube um pouco modificado em algumas perguntas, a origem permanece a mesma."

Carreira em Inter e Grêmio: "A minha carreira foi forjada na dupla grenal, eu tenho um enorme respeito pelos dois clubes, pelas duas torcidas, eu sou gaúcho e temos muito orgulho pelo o que a gente faz na questão do futebol. Eu tenho muito respeito e muito orgulho desses dois clubes (Grêmio e Inter). Estou muito feliz em voltar ao nosso Inter."

Sobre ex-função de treinador: "A vida de treinador, em alguns momentos, tem um respaldo maior e um respaldo menos. Sempre entendi e absorvi todas as passagens que eu tive como lição de vida. Eu sou muito grato à carreira, a todos os clubes em que estive."

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

669 pessoas já votaram