Texto por Colaborador: Redação 17/03/2020 - 03:25

Na história como um dos maiores treinadores do Internacional, Abel Braga segue fazendo péssimas escolhas a nível de carreira, pelo menos de 2019 em diante. Após assumir um Cruzeiro em crise e desesperado pelo rebaixamento, Abelão repetiu o processo, mas dessa vez no Rio de Janeiro. Isso porque o comandante Campeão do Mundo e da Libertadores de 2006 pediu demissão e deixou o comando do Vasco da Gama na última segunda-feira, três meses após sua apresentação em São Januário, em 18 de dezembro do ano passado. 

Abel não resistiu a derrota para o Fluminense no clássico deste domingo pela Taça Rio, por 2 a 0, além da fraca campanha de quatro vitórias, cinco empates e cinco derrotas em catorze partidas. Por outro lado, assumiu um "Gigante da Colina" com atraso aos jogadores de cinco meses de direitos de imagem, dois meses e meio de CLT, parte de décimo-terceiro e férias, fatores que levaram o grupo de atletas a adotar uma "greve de silêncio". Se não bastasse tudo isso, Abel deixa o clube sem receber nenhum centavo. 

Através de nota oficial, o treinador se despediu: "Como falei na minha última coletiva, depois do jogo contra o Goiás, gosto muito do Vasco, do presidente, dos jogadores, da torcida e do ambiente de trabalho. Mesmo com a crise financeira, jamais faltou dedicação e entrega".

"Mas as coisas não estão acontecendo da forma como imaginamos. Num momento em que os campeonatos estão parados por motivo de força maior, saio para que o clube encontre um profissional que tenha tempo para trabalhar e tentar os ajustes necessários. Fica o meu agradecimento". 

Confira seus últimos clubes: 

2014 Internacional
2015–2016 Al-Jazira
2017–2018 Fluminense
2019 Flamengo
2019 Cruzeiro
2020  Vasco da Gama

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

801 pessoas já votaram