Texto por Colaborador: Redação 25/09/2020 - 19:00

Na tarde desta sexta-feira houve um pronunciamento à imprensa do presidente Colorado, Marcelo Medeiros. O mandatário do Clube falou sobre a decisão da saída dos dirigentes, que segundo ele partiu da assinatura de um documento de aliança entre Academia Colorada, Convergência Colorada e Inove Inter para as eleições do clube em 2020. Houve uma reunião do Conselho de Gestão em que ficou decidido que os dirigentes signatários deveriam deixar os cargos à disposição.

O clube definiu nesta sexta as saídas de cinco dirigentes da atual gestão. O principal deles é Alessandro Barcellos, agora ex-vice de futebol do clube. Também deixam os cargos o 4º vice eleito Humberto Busnello, vice de administração Victor Grunberg, o vice de marketing Nelson Pires, e o assessor da presidência Flávio Ordoque. Todos de movimentos que agora são oposição Movimento Inter Grande (MIG) de Medeiros. Confira os principais trechos da coletiva.

VÍDEO:

TEXTO:

A decisão da saída de dirigentes da gestão: "Há 5 anos, criamos uma aliança de movimentos que fazem parte da nossa gestão, essa aliança venceu eleições em 2016 e em 2018. Todos os conselheiros, foram eleitos por essa aliança. Sempre trabalhei na manutenção e na defesa, de que o clube tenha a menor divisão possível no seu aspecto político.”

“Ontem, fui surpreendido com uma informação, de que dois movimentos da gestão, teriam assinado um documento, um acordo, junto com o movimento Inove, falando que havia uma possibilidade de candidato de oposição estar dentro da gestão. E na reunião de hoje de manhã, todos os conselheiros desconheciam esse documento. Todos os integrantes do conselho de gestão entenderam que os signatários do documento, deveriam colocar seu cargo à disposição.”

Saída do Alessandro e de dirigentes: “Hoje o Alessandro me procurou, e me mostrou o documento, o grande problema é como todo esse processo se deu. Ele colocou seu cargo à disposição, então o desligou da função como vice-presidente do futebol do Internacional.”

“Falei no telefone com Nelson Pires, e ele também colocou o cargo à disposição. Para esses dirigentes que deixam o Inter hoje, só tenho agradecer e desejar sucesso nos novos desafios.”

Os comandantes do vestiário: “Minha dedicação será total ao departamento de futebol, e eu e o Rodrigo Caetano, continuaremos nossa caminhada, no Campeonato Brasileiro, na Copa do Brasil e na Libertadores. Transmitindo aos torcedores, nossa confiança no Coudet.”

“O Flamengo leva uma goleada do Del Valle, e na partida seguinte o Del Valle leva outra goleada. Estamos vendo isso em vários times, em vários campeonatos.”

"Eu assumi o Inter em uma série B, e to entregando o Inter em uma pandemia. Eu estou mais preocupado em entregar o clube muito melhor do que eu recebi.”

Problemas das gestões passadas: “Sem esquecer que a gestão que nos antecedeu tem problemas no Ministério Público. Voltamos a série A, em 2018 chegamos em 3 lugar no Brasileiro, em 2019 disputamos a Copa do Brasil e esse ano estamos em processo de crescimento.”

Problemas políticos: “O Inter tá na frente, o Inter é maior que a política. Vou sempre levar o Alessandro como amigo pro resto da vida, mas a forma como se deu, não foi correta. O presidente tem que ser comunicado.”

Desempenho em campo: “Estamos em 2 competições, uma vai iniciar, vamos trabalhar para que reverta os resultado dos últimos jogos.”

Vendas de atletas: "Ainda temos algumas missões para cumprir. Passando por etapas da Libertadores, tem premiações. A possibilidade da venda de algum outro atleta.”

Situação do Edenilson:“Não comentamos negócios, saídas e vindas de atletas. Edenilson é um jogador muito importante para o grupo, não temos nada a respeito desse jogador, muito falado na mídia, mas aqui não chegou nada. 

“Hoje o Edenilson não sai, não chegou nada.”

Situação de Coudet: "Garanto o Eduardo Coudet. O Coudet não é uma convicção do Medeiros, é uma convicção do clube. Não gostei do Grenal, nem desse, nem do último. E os jogadores sabem disso.”

O que faltou no Gre-Nal: “No Grenal temos que entrar com a mente focada, com determinação. Depois da partida sim, o incômodo foi expressado.”

“Vou me dedicar de uma maneira muito maior que eu vinha em dedicando, a minha presença no futebol vai ser diária, o Inter, como outros, ta oscilando muito, em razão de lesões, do contágio...”

Rendimento do time: “Tenho hábito de ver os jogos do Inter em casa, contra o América de Cáli o primeiro tempo foi de luxo, contra o Fortaleza foi mal, no Grenal o primeiro tempo não foi bem, não gostei do jogo.”

“É um ano diferente e mesmo assim, fomos líderes do Brasileirão e da nossa chave na Libertadores.”

"Não sou coordenador do MIG, não sou presidente do MIG. O torcedor quer que o Inter entre em campo e de o seu melhor, e como presidente do Inter vi movimentos políticos acontecendo e não gostei.”

Categorias

Ver todas categorias

Você gostou da 3° nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

1666 pessoas já votaram