Texto por Colaborador: Redação 03/01/2021 - 03:59

O futebol mexicano buscará seu retorno às Copas Libertadores e Sul-Americana por meio de Enrique Bonilla, líder que deixou o cargo de presidente da Liga Mx para se concentrar nas negociações internacionais.

“Procurarei acelerar as conversas com Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, para que nossos clubes disputem as copas Libertadores e Sudamericana. Como presidente executivo não tive o momento ideal para avançar” neste sentido, disse Bonilla em entrevista coletiva.

Após a Assembleia Ordinária da Liga Mx realizada em dezembro, os donos dos clubes mexicanos decidiram que Bonilla deixará a presidência executiva em janeiro de 2021, quando será substituído pelo político Mikel Arriola.

Bonilla, também presidente do Fórum da Liga Mundial, revelou que além de seu objetivo de apresentar os times mexicanos às competições da Conmebol, ele buscará um relacionamento mais próximo com Don Garber, comissário da MLS, para propor torneios conjuntos.

“Tenho um relacionamento próximo com Don Garber e estamos nos comunicando, estamos trabalhando com passos firmes para buscar o melhor para a Liga Mx, MLS e desenvolver o futebol na América do Norte”, acrescentou Bonilla, presidente da Liga Mx desde 2015.

Arriola, que já foi candidato a prefeito da Cidade do México, garantiu que suas principais tarefas na presidência executiva serão aumentar a receita das equipes para que possam investir no talento esportivo e para que os clubes tenham melhor controle econômico.

“A principal tarefa é manter e garantir o melhor funcionamento da Liga, colaborar e coordenar com qualquer autoridade, aumentar as fontes de receita dos clubes e acima de tudo ter melhores práticas empresariais e econômicas, aumentar a solidez institucional dos clubes”, disse. Arriola reconheceu que vai se concentrar no crescimento da segunda divisão e do campeonato feminino.

México nas competições da Conmebol
Depois de tentativas desde a década de 1970, os times mexicanos finalmente conseguiram começar a participar de torneios internacionais na América do Sul em 1998, embora até 2003 tivessem que ser eliminados com times venezuelanos e depois, até 2010, jogar uma liga entre mexicanos para entrar. Foi somente em 2011 que eles começaram a se classificar diretamente para suas atuações em torneios locais. No entanto, sempre foram mantidas restrições, como não poder definir em final local ou não representar a Conmebol na Copa do Mundo de Clubes em caso de levantamento do troféu. Em 2016, diante das mudanças no formato das competições, os mexicanos decidiram se retirar, embora na Conmebol estivessem sempre abertos para recebê-la novamente.

Como seriam distribuídas as cotas?

Devido à demanda contínua da Concacaf de ter os melhores representantes do México, os quatro finalistas da Liga MX, os do Apertura e os do Clausura, terão seu lugar no Concachampions. Caso uma equipe se repita como Finalista, o clube com maior pontuação da temporada se classifica para a Liga dos Campeões da Concacaf.

Pelo plano, as três equipes com mais pontos no ano calendário e que não tiverem vaga no Concacaf irão para a Copa Libertadores e as próximas três para a sul-americana. Por fim, as restantes oito equipas sem lugar em nenhum dos torneios organizados pelas duas entidades americanas, vão entrar numa competição que está prevista para ser realizada com a MLS, dos EUA.

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

669 pessoas já votaram