Texto por Colaborador: Redação 14/09/2021 - 20:34

O Inter somou sua maior série invicta da temporada graças a vitória por 1 a 0 sobre o famigerado Sport, em Recife, se pondo de vez na luta por uma vaga à Libertadores. A atuação nesta 20° rodada, porém, não passou despercebida por todos os cronistas esportivos, que criticaram as inúmeras dificuldades alvirrubras para se sobressair diante de um dos times mais fracos da Série A. Vendo Daniel e a trave brilhar para garantir os três pontos, os comentaristas não entenderam as escolha táticas e técnicas do técnico Diego Aguirre, considerado grande responsável pelo rendimento após duas semanas de treinos. Confira o que de principal se disse:

 ROBERTO PAULETTI - BAND / YOUTUBE

Ontem comentei o jogo pela BAND e hoje posso dizer tranquilamente que estou decepcionado com o Internacional, claro que não em relação ao retrospecto, nos últimos 18 pontos o Inter somou 12, uma campanha expetacular, mas o desempenho assusta. Não é possível, o Inter jogou 10 min pressionando aquele fraco time do Sport, um time pesado, e depois simplesmente recuou.

O Lindoso no meio de campo é um atraso, olha, não consigo entender, ele pega a bola e atrasa todo o time, só joga lateralizado, mas ele é titular do Aguirre. Eu tenho falado no Apito Final (programa), o Aguirre é fraco, ele não é bom treinador, não tem títulos e já treinou grandes times. E ontem de novo ele quase faz o Internacional empatar com aquele time horroroso do Sport, que até fora de forma está. O melhor em campo foi o Daniel, todo mundo viu.

Porque o Aguirre em vez de manter o time pressionado o Sport, o Inter deu todo o campo para eles jogarem? Quando entrou o Johnny o time até melhorou um pouco, mas ele manteve o Lindoso, e aquela lerdeza toda do Internacional fica evidente e chama o adversário para cima. E para piorar, o Guerrero não tem mais condição. Tu tirar o Yuri de centroavante para colocar o Guerrero só pode ser bruxaria, quer ajudar o amigo a conseguir um novo contrato, porque o Aguirre não pode ser tão burro assim. Ele colocou o Heitor e tirou o Yuri, e a explicação dele era pra marcar o Sander, o SANDER! um lateral de Série B, e quase que o Internacional toma um gol pela direita mesmo tendo Saravia e Heitor. 

HILTOR MOMBACH- CP

O Inter marcou e, com um futebol burocrático, abdicou de ampliar. O Sport foi melhor no segundo tempo, meteu bola no poste e por pouco não empatou. O Inter fez uma pequena blitz aí pelos 35min, quando Guerrero perdeu um gol incrível. O Sport pediu para ser goleado e o Inter optou por uma partida dramática até o apito final.

FILIPE DUARTE - GZH

A substituição de Aguirre mostra o cenário do jogo: Heitor entra como extrema-direito e empurra Edenilson pro meio-campo, que passa a formar um tripé de volantes à frente da área. É o ferrolho pra segurar a vitória na Ilha do Retiro

Inter fez gol no início, baseado em marcação pressão e jogo apoiado. Dali por diante, baixou o ritmo e, mesmo diante de um adversário frágil defensivamente, optou por não se impor mais pra administrar o resultado e apostar em contra-ataques. Só não foi punido porque Sport é ruim.

Inter volta de Recife com 3pts, mas atuação foi bem abaixo da crítica. Aguirre teve 15 dias pra treinar, mas parecia que o time vinha de uma sequência de jogos. Muitos jogadores, nitidamente, com o freio de mão puxado. Colorado pode erguer as mãos por essa vitória

DIMITRI BARCELLOS

Depois de 15 dias, dava pra esperar mais do Inter, sobretudo contra um adversário tão frágil como o Sport. Apesar de ter mostrado boa iniciativa pra tentar recuperar a bola pós-perda em alguns momentos, mostrou os mesmos problemas (especialmente defensivos) de 2 semanas atrás.

Um deles é a lentidão na recomposição, principalmente do trio de meias. Sport conseguiu escapar em algumas situações onde a linha defensiva do Inter ficou exposta com a demora no apoio e só não aproveitou pela qualidade baixa do time com a bola no pé.

Outro (e o que mais me chama a atenção) é a dificuldade de estabelecer uma zona de pressão quando organizado atrás. Se o adversário tem a bola, o comportamento é ir recuando até onde o limite do campo permite. O time não encurta espaços, cede terreno e traz o adversário pra cima.

3 pontos. Legal. Bacana. Mas são 15 DIAS DE TRABALHO pra voltar e apresentar este futebol paupérrimo de iniciativa quase nula contra o vice-lanterna.

A bizarrice que é a mentalidade deste time também não cansa de me impressionar. Fora de casa é capaz de amassar o Flamengo com um foco absoluto e, não muito depois, terminar um jogo contra o Sport com o c* na mão de tanto sofrer em campo. Sem condições.

MAURÍCIO SARAIVA - GE

Depois de duas semanas de trabalho e repouso, atuação do Inter é abaixo da crítica. Daniel acaba de fazer um milagre pra evitar o empate do fragilíssimo time do Sport.

Daniel fazendo hora no chão, Trellez põe bola na trave, Heitor entrou no lugar de Yuri Alberto…mudanças de Aguirre pioraram muito o Inter. Uma vitória que deveria ser tranquila vai virando épica...

Este desempenho coletivo abaixo da crítica acontece contra um time do Z-4 e depois de o Inter treinar por duas semanas. Inesperado e, na verdade, inaceitável que um time piore depois de ter tempo para treinar.

A vitória pôs o Inter na primeira página da tabela e o afastou, por óbvio, do Z-4 do qual estava perigosamente próximo. O time não funcionou remodelado, ainda que com esta formação tenha feito seu gol, mas piorou quando voltou a ter dois volantes iguais.

Sobra a vitória como relevante, fica a atuação como preocupante. Contra o Sport, o goleiro colorado foi o melhor em campo.

CARLOS GUIMARÃES - R. GUAÍBA

Jogo ruim, atuação ruim, uma incapacidade de atacar com mais velocidade, time sem vibração e administração de resultado que gerou um monte de risco para o Inter. Bem perigoso e bem ruim o jogo. Resultado melhor que desempenho.

Fica um jogo lento e sem volume ofensivo. Poderia ter, mas a administração de resultado deixa o jogo chatíssimo. E, repito, não é pelo modelo, é por uma natural possibilidade de entrar no campo do adversário e dominar.

JB FILHO - SITE JB

O resultado foi bem melhor que a atuação. Claro que vale comemorar a vitória, quem sou eu pra tirar isso. Agora, não se engane, o Sport poderia ter facilmente vencido. Tiveram pelo menos duas bolas na trave e dois defesas sensacionais do Daniel.

O melhor em campo foi o goleiro Daniel. Ele salvou pelo menos duas chances claras de gol do Sport. Na primeira, defendeu parecendo um gato indo numa bola de lã. Após, Pra fechar, ainda ficou cara a cara com o Tréllez e defendeu. Sem dúvidas, o responsável pelos três pontos. Não fosse ele, seria um empate.

Os dois zagueiros também tiveram atuação destacada. Foi uma partida muito boa do Cuesta. Isso que na defesa milagrosa do Daniel, o carinha deles cabeceou entre Cuesta e Bruno. Porém, foi só essa falha. De resta, ambos super bem. Cuesta voltou a ser o cara das antecipações.

Com todos estes fatores, estar na 9º colocação e a 3 pontos apenas da pré-Libertadores é mais do que um lucro pro time do Aguirre.

Categorias

Ver todas categorias

Aguirre é a escolha certa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

1408 pessoas já votaram