Texto por Colaborador: Redação 27/06/2020 - 00:00

A negociação entre a Turner e Inter - além dos sete clubes - para transmissão do Campeonato Brasileiro em 2020 não chegou a um acordo e portanto deve parar na justiça, informa o UOL.

Por um lado, o conglomerado alega que os clubes descumpriram várias cláusulas contratuais, por outro, os clubes acusam que a Turner quer forçar a rescisão contratual sem pagamento de multa. Vale lembrar que, desde maio, a empresa não paga os valores acordados com pela transmissão do Brasileirão.

A Turner não teve avanços nas últimas semanas com nenhum dos oito clubes que possuem contrato ativo para a transmissão da Série A e deve entrar na Justiça após o dia 30 de junho contra todos. A lista tem Palmeiras, Santos, Bahia, Ceará, Fortaleza, Athletico, Coritiba e até Internacional — que nas últimas semanas flertou com acordo individualmente, mas não conseguiu avançar. As primeiras rodadas tiveram um bom entendimento, e até ida à Justiça chegou a ser descartada, mas a empresa e os gaúchos começaram a discordar em relação a valores, de um acordo que se encerra em 2020.

Os outros clubes, que negociam em bloco uma solução e contrataram a empresa Livemode para intermediar as conversas, também não tiveram avanços. O contrato deles com a programadora vai até 2024. Sem chegar em um ponto comum, a Turner notificou os clubes e afirmou que se até a próxima terça (30) não se chegar a um denominador comum sobre a continuidade ou não do contrato, pretende abrir processo judicial.

"A Turner notifica os Clubes a apresentarem uma proposta para que se alcance uma solução definitiva para a questão até 30 de junho de 2020. Na ausência dessa proposta, a Turner entenderá que não há interesse dos Clubes em prosseguir nas tratativas e tomará as medidas cabíveis, na forma do Contrato", diz trecho da notificação, obtida pela reportagem.

 A dívida da empresa com o Beira-Rio prevista no acordo é de R$ 30 milhões 

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

1783 pessoas já votaram