Texto por Colaborador: Redação 14/10/2021 - 01:55

Na noite desta quarta-feira, o América foi superado, por 3 a 2, pelo Internacional-RS, no Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe americana lutou até o final, mas não conseguiu reverter a vantagem do adversário, perdendo uma invencibilidade de 8 jogos na competição. O Coelho segue com 31 pontos e na 11ª posição da tabela. Após os 90 minutos, confira o que foi dito pelo lado de lá:

Vagner Mancini: "A análise do jogo: o América melhor no primeiro tempo, o Inter melhor na segunda etapa. Enquanto a gente foi melhor, nós até tivemos boas oportunidades e acabamos não fazendo os gols. O Inter, na segunda etapa, aproveitou melhor as chances que teve e, por isso, o placar. Eu, sinceramente, lamento, porque nós fizemos um tempo muito bom, onde a gente poderia ter um aproveitamento melhor em todos os sentidos. Fomos organizados, chegamos bem à frente, mas, infelizmente, na segunda etapa, principalmente após o segundo gol, a equipe acabou sentindo um pouco. Teve que se abrir para buscar o empate e acabou tomando o terceiro gol".

"Não houve queda física. Houve queda natural de imposição da partida. O Inter, quando fez o segundo gol, abaixou as linhas e passou a jogar no contra-ataque. Enquanto estava empatada a partida, o Inter se lançava à frente. Então, é natural que você tenha uma certa dificuldade, porque você está jogando fora de casa contra uma equipe que sai bem nos contra-ataques, que tem jogadores velozes. Isso acabou sendo fundamental dentro da estratégia do Inter - a partir do momento em que fez o segundo gol. Até então, o América tinha espaço para evoluir. Na segunda etapa, esse espaço diminuiu exatamente pelo recuo do Inter".

"Hoje, o jogo foi extremamente pegado. Desde o começo do jogo com muitas faltas, as duas equipes parando demais, o juiz marcando muitas faltas - algumas até desnecessariamente. Isso também fez com que o jogo tivesse uma leitura diferente - coisa que aconteceu menos na segunda etapa. Mas o primeiro tempo, principalmente, quando o América jogava mais no campo de ataque, houve muitas faltas. O Moisés, se não me falha a memória, fez cinco, seis faltas seguidas e nem amarelo recebeu - só no final da partida. Isso também influenciou dentro desse quesito".

Juninho: "Acho que a nossa equipe, independente do lugar que joga, pegou um espírito de vencer. Em outras ocasiões, a gente viria aqui para fazer um jogo para empatar, para levar um pontinho. Hoje nós viemos aqui para vencer, e infelizmente perdemos. Mas é isso, levantar a cabeça, acho que estamos fazendo uma boa campanha. Agora um jogo em casa, dificílimo também. Levantar a cabeça, recuperar o mais rápido possível e estamos bem, na briga para conquistar os nossos objetivos".

Categorias

Ver todas categorias

Tu apoia a mudança do escudo com a retirada da borda?

Sim

Votar

Não

Votar

137 pessoas já votaram