Texto por Colaborador: Redação 15/02/2020 - 22:40

Enquanto o Inter não sofria gols há 4 jogos seguidos, o Grêmio encerrou a sequência vermelha na cabeçada de Diego Souza, em uma temporada que os gremistas somavam já duas derrotas para equipes do interior. Com o time de Coudet levando 5 gols em 2020 - todos oriundos da bola aérea -, Renato Portaluppi, técnico do rival, analisou o confronto sob o viés do adversário, após o GreNal 423, pela semifinal do 1° turno do Gauchão 2020. 

"Dei os parabéns para o Coudet porque apesar da derrota foi um time corajoso, que jogou pra frente. Foi um belo Gre-Nal, chances de um lado, chances de outro. A gente conseguiu um resultado importante na casa do adversário. Passamos por eles e isso nos dá a condição de decidirmos o turno".

Sobre o lance do gol: "Quanto ao Diego, é o terceiro jogo e o terceiro gol. Pra quem conhece um pouco de futebol, foi um gol de malandro, um gol de quem joga futevôlei. A gente não tem que dar resposta pra ninguém".

Sobre os três volantes: "Pode voltar a acontecer. Depende do jogo. O Inter tinha quatro homens no meio. Foi isso que pensamos. Na frente, assim como eles, a gente tinha um homem de referência. A mais, tínhamos a velocidade pelos lados (...) Nós temos uma vantagem sobre o Internacional, nós temos velocidade pelo lado. Treinamos que iríamos atrair o Inter para o nosso campo justamente para criarmos os espaços".

Sobre a possibilidade de enfrentar o Inter na fase de grupos da Libertadores: "Falei pros jogadores do Inter que tô torcendo pra eles passarem, eles são testemunhas. Não é pela rivalidade que torceremos contra. Que venha o Inter. Inter e Grêmio são grandes. Temos que valorizar o futebol gaúcho. E outra, a distância é curta. Não quero viajar pra Colômbia. Agora, eles que façam a parte deles."

Modelo do Inter: "Não vou falar das fraquezas do Inter. Um esquema como esse do Inter, que é o mesmo do Sampaoli, que é bonito e eu gosto, mas precisa de jogadores pra não deixar pontos fracos. O time do Inter não tem nada a ver com o Sampaoli. Cada time tem seu esquema, mas a estratégia que usei hoje foi mais ou menos a que usei no ano passado e ganhamos de 3x0 do Santos. Eu não vou falar dos pontos fracos do Inter, mas pode ter certeza que trabalhamos em cima deles. A nossa estratégia deu certo."

"Eu sou um treinador corajoso. Muito corajoso. Não fico esperando que as coisas aconteçam, eu faço acontecer. Por isso, mexi no time. Pra que ficar com dois volantes, se eu tinha um jogador a mais? Eu tinha que arriscar e arrisquei."

"Estamos invictos a seis Grenais. Mais um recorde que esse grupo consegue quebrar. Mais uma marca. É isso que vou me lembrar desse Grenal lá no futuro."

"Começamos com a equipe principal justamente pra ganhar o turno. Se ganhar esse turno, já estará na final do Gauchão, e o segundo turno vai ser muito mais tumultuado (...) É muito melhor a gente enfrentar o #Inter, que tem casa cheia, seja no Beira-Rio ou na Arena, do que ter que viajar 4, 5, 6 horas para estádio pequeno, gramado ruim. Não é fácil. Grenal é sempre Grenal".

Categorias

Ver todas categorias

Gustagol é um bom reserva para Paolo Guerrero?

Sim

Votar

Não

Votar

3106 pessoas já votaram