Texto por Colaborador: Redação 11/07/2021 - 01:11

Dada a importância da partida, resolvemos fazer alguns "pitacos" em relação a performance e o contexto do Inter no GreNal 433 deste sábado, válido pela 11° rodada do Brasileirão. O empate fez o SCI cair na tabela, com 11 pontos e no 15° lugar. Confira alguns detalhes sob nosso ponto de vista:

- Comando técnico: Aguirre escalou bem, ou seja, não inventou, tirando peças que jamais poderiam fardar (como a óbvia saída de Pedro Henrique na zaga, Johnny de segundo volante ou improvisando Bruno Mendez na lateral). No entanto, suas trocas pioraram o time, mais uma vez. Caio Vidal quando começava a se sobressair, foi sacado. Para entrar quem? Thiago Galhardo, visivelmente despreocupado com o jogo, evitava TODOS os confontos, como se já pensando na sua venda daqui umas semanas. Por outro lado, Johnny, novamente entrou como opção ofensiva, papel que não consegue cumprir minimamente. O uruguaio tem demonstrado dificuldades básicas para ler o jogo. 

- Boschilia: claramente não está fisicamente apto para jogar por 45 minutos. Sem intensidade, o meia ainda sente a lesão e deveria dar espaço a outros nomes mais prontos atleticamente.

- Daniel passou em branco: mero espectador, o arqueiro vermelho quase não interviu durante o jogo, enquanto o goleiro gremista evitou diretamente a derrota pelo lado rival. Bom indício após o SCI ter uma das piores defesas do torneio. O Inter vinha de sete jogos consecutivos levando, ao menos, um gol. Desde o dia 13 de junho, quando o time, ainda treinado interinamente por Osmar Loss, venceu o Bahia por 1 a 0, no Pituaçu, a zaga invariavelmente era vazada. Foi assim nos confrontos contra Atlético-MG, Ceará, Chapecoense, América-MG, Palmeiras, Corinthians e São Paulo. No entanto, o Grêmio se mostrou com uma de suas esquadras mais fracas das últimas décadas e não parece ser parâmetro para avaliação.  

- Grande destaque: Bruno Mendez foi o grande nome do Inter no clássico. Mesmo baixo em estatura, o uruguaio provoca os confrontos a nível físico, tem envergadura e se sobressai na marcação pela imposição. Se seguir assim dará mais tranquilidade até o retorno de Moledo, o melhor do plantel. Perto da ruindade que se vê no setor (Zé Gabriel, PH, Lucas Ribeiro) o charrua parecia um oásis na Arena OAS.

- Calado, Barcellos é um poeta: após o jogo o presidente Alessandro Barcellos resolveu "provocar" o Grêmio dizendo que o Inter não olha para trás, apenas para frente. Em que raio de universo paralelo ele está? O Inter é apenas o 15° colocado, a 4 pontos do Z4, com míseras DUAS vitórias em onze rodadas, estando fora da Copa do Brasil (caindo para uma equipe da Série B) e sem conseguir vencer um dos "Grêmios" MAIS FRACOS E ENTREGUES DA DÉCADA! Acorde para a realidade, caro presidente. O Internacional deveria ter saído com a vitória e encerrado o jejum vergonhoso no estádio rival. 

 - Sentimento:

1° tempo: Inter desperdiçou uma grande chance de sair na frente, errando gols inacreditáveis. Time de Felipão foi tão mal, que parece impossível imaginar outros 45 min tão ruim pelo lado de lá de novo daqui a milênios. Aguirre fez o básico na formação e o time fluiu melhor, mesmo com as limitações. Será tão difícil?

2° tempo:  Perdemos uma GRANDE chance de fechar o "portal" neste sábado. Sem dúvida não nos lembramos de um Grêmio tão perdido e mal durante 90 minutos. 

- Muito chão pela frente e nada para comemorar: Chegamos ao quinto jogo sem vitória, com 2 derrotas, somando 3 pontos em 15, aproveitamento de rebaixado. Se não melhorarmos substancialmente, uma vaga no G6 é utopia e a fuga do Z4 a realidade. 

Seguramente nos esquecemos de muitos detalhes para comentar, por isso, deixem os seus "pitacos" nos comentários logo abaixo! O que acharam do GreNal 433 e seus impactos?

Categorias

Ver todas categorias

Aguirre é a escolha certa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

1408 pessoas já votaram