Texto por Colaborador: Redação 26/11/2020 - 01:45

O presidente colorado Marcelo Medeiros concedeu entrevista à Rádio Gaúcha nesta quarta-feira (26) onde repercutiu o adiamento do jogo entre Inter x Boca Juniors pelas oitavas de final da Libertadores. Realocado para a próxima quarta (2), a situação foi vista com naturalidade pelos dirigentes vermelhos, frente a morte de um ídolo nacional e Xeneize, como Diego Maradona:

“Há três anos atrás, nesta época, estávamos enfrentando o Vila Nova em uma Série B. No ano passado, nós recebemos o River Plate. E hoje, no dia que receberíamos o Boca Juniors, Diego Armando Maradona nos deixa. E o Inter, ao participar desse cancelamento da partida, vai ser protagonista no planeta inteiro pela importância que tem o Boca Juniors no futebol mundial e em especial Maradona”, iniciou.

“Eu estava almoçando no hotel da concentração, se preparando para o jogo de logo mais, quando chegou a notícia da morte do Maradona. Começamos a conversar e eu fiquei pensando, no deslocamento para o CT, como seria se o Santos tivesse um jogo marcado e isso acontecesse com o Pelé. A gente se solidariza com o povo argentino, com todos que amam o futebol. O Boca Juniors como instituição, seus dirigentes, profissionais, precisam estar presentes nestes atos fúnebres. O Maradona não é só um ídolo do Boca, mas dos argentinos, de todos os times por onde passou, tem admiradores no mundo inteiro", finalizou.

Já o vice-presidente colorado, Alexandre Chaves Barcellos, explicou que ambas as direções começaram a conversar para que a partida ocorresse em outro momento:

"Dos que vi jogar, Diego Armando Maradona foi o maior de todos e pelo fato do Boca Juniors estar envolvido na partida, com uma identificação total entre Maradona e o clube, era necessário que se adiasse. Nós começamos a conversar com a CBF e com a Conmebol e chegamos a este acordo que levou o adiamento da partida (...) Se fosse ao contrário, quem comanda o futebol sul-americano também teria essa compreensão conosco. Isto é muito maior que o jogo", explicou. O dirigente acrescenta que não existiu uma "negociação" pelo não adiamento, mas sim uma estruturação de datas para o calendário de nenhuma das equipes ser prejudicado", disse a Rádio Guaíba.

Categorias

Ver todas categorias

Miguel A. Ramírez é o nome certo para comandar o Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

669 pessoas já votaram