Texto por Colaborador: Redação 22/07/2020 - 00:00

A Rádio Gre-Nal conversou na noite desta terça-feira (21) com os presidentes da dupla Gre-Nal, Marcelo Medeiros e Romildo Bolzan. Os dirigentes comentaram a respeito da mudança do local da partida, o retorno do futebol como outros temas. Confira os principais trechos.

TEXTO:

Marcelo Medeiros (Inter):

"Sexta-feira tive o privilégio de falar no programa de vocês quando da decisão da retirada do Beira-Rio como palco desse Grenal. Acho que deixei bem claro os motivos da nossa indignação. E até agora não consigo entender. Gostaria de agradecer às prefeituras que estão se colocando à disposição. Tem que se ter a dimensão do que representa o futebol. Não é entretenimento, não é lazer. Faz a economia girar."

Sobre o gramado do Centenário: "Eu vi fotos. O gramado está queimado por causa da geada. Mas o problema não é esse. O problema é eu ver o gramado que eu tenho aqui, que é um tapete."

"O Centenário tem peculiaridades. Ali ao redor do estádio tem residências em que culturalmente as pessoas se aglomeram para assistir ao jogo. No Beira-Rio não tem isso, na Arena não tem isso."

"A gente apela para que as pessoas fiquem em casa. Não receba convidados para fazer algum tipo de comemoração para assistir ao jogo. Todos nós fazemos parte do retorno do futebol, incluindo quem assiste futebol."

Sobre Sonda ter ajudado na negociação de Yuri Alberto: "Não."

Romildo Bolzan (Grêmio): 

"Nós tínhamos o desejo de jogar o Porto Alegre. Eu acho que viajar, se hospedar e se locomover cria um risco superior a ir do nosso hotel ao Beira-Rio".

"Nosso negócio é futebol. Se não jogamos, não temos renda".

Categorias

Ver todas categorias

Tu aprova o nome de Abel Braga para substituir Coudet até fevereiro?

Sim

Votar

Não

Votar

875 pessoas já votaram