Texto por Colaborador: Redação 23/03/2020 - 02:42

Em meio ao que vem acontecendo no mundo, onde o protagonista é apenas a pandemia que nos choca a cada dia, a parada no futebol deixou de lado a evolução colorada e frustra a torcida que ansiava pelos jogos, já que o que estava sendo visto era um time muito qualificado e que demonstrava assimilar gradativamente as ideias de Chacho.

O Inter de 2020 é um time ofensivo e isso o leva a ser protagonista em todas as partidas, independente do local ou do adversário. Diferente de quando entre duas equipes uma se sai melhor, agora é o colorado que comanda as ações e o oponente que se adapte. Ou até mesmo, quando o outro consegue impor um ritmo diferente, o técnico faz uma leitura correta e monta um esquema que o faça ser propositivo.

Não é preciso muitos fatos para dizer que a temporada atual é muito mais promissora que as anteriores. Logicamente, é impossível dizer que virão títulos, mas as chances são muito maiores, até mesmo pelo grupo montado. Com a possibilidade de traçar estratégias diferentes para cada jogo e modificar peças para manipular taticamente o adversário, Coudet dá esperança até mesmo ao torcedor mais incrédulo.

Esse Inter não seria eliminado facilmente pelo Flamengo na Libertadores, muito menos jogaria desorganizado contra o CAP. Quem sabe não tenhamos que agradecer pela derrota na final da Copa do Brasil para chegarmos onde estamos, sendo protagonistas da nossa própria história. Muitas vezes é após grandes tropeços que o sucesso vem.

Por muito tempo o alvirrubro não trabalhava tão bem e com uma forma de jogar que realmente fosse vistosa aos olhos de quem já cansou de apenas defender e atacar sem eficiência. Chegou a hora de deixar o papel de coadjuvante àqueles que nos enfrentarem. Ano passado tivemos o Beira-Rio a nosso favor, que agora seja o time o grande protagonista.

por Thulyo Maciel - Contato: @thulyomaciel

Categorias

Ver todas categorias

Gustagol é um bom reserva para Paolo Guerrero?

Sim

Votar

Não

Votar

2343 pessoas já votaram