Texto por Colaborador: Redação 03/02/2020 - 12:12

Uma promissora temporada que se avizinha sob o comando de Eduardo Coudet terá nesta terça-feira(4/2) um dos primeiros desafios de caráter altamente decisivo. Enquanto uma desclassificação nestas fases iniciais da Libertadores resultariam em problemas no Beira-Rio - principalmente a nível econômico mas também de autoestima - o pouco tempo de trabalho é uma das barreiras primordiais nesse momento da temporada. Por outro lado, o Colorado oferece ao técnico argentino um elenco mais bem formatado que em 2018 e 2019, com uma mínima base formada, além de uma estrutura com todos os recursos de ponta para os profissionais renderem o máximo dentro de campo. 

Precisando trazer um resultado minimamente favorável para Porto Alegre, na terça seguinte (11/2), os titulares estarão em campo somente pela 3° vez (contra o 4° dos chilenos) em 2020, e chegam em boa forma após o SCI disponibilizar voos fretados para o menor desgaste possível.

Se na parte tática e anímica apenas Coudet poderá ditar as melhores ideias, resolvemos debater no SCInternacional.net qual seria a melhor formação para o Inter em uma estreia de Copa Libertadores, diante dos Azules, no Estádio Nacional do Chile. Confira a opinião de nossa equipe (time ideal disponível no momento):

-> Thulyo Maciel (@thulyomaciel)

TIME IDEAL: Lomba, Rodinei (Heitor), Moledo, Cuesta,Moisés, Musto, Edenilson, Nonato, Galhardo, D'Alessandro e Guerrero.

Motivo: a mudança de postura do meio campo precisa ser imediata. A saída de jogo com Lindoso anda sem qualidade, o jogador tem errado bastante, mas embora Nonato também não tenha se achado no esquema adotado por Coudet, dá uma dinâmica melhor na transição. Patrick continua sendo o mesmo de sempre, com alternância entre bons e maus momentos.

Portanto, faria a linha de meio com Edenilson, Nonato e Galhardo (os dois com maior liberdade para abrir pela esquerda ou centralizar). Galhardo ainda com a possibilidade de encostar mais na área quando Dale sair para armar o jogo. Acredito que em breve podemos ter variações de jogo utilizando Marcos Guilherme e Boschilia, mas um precisa melhorar alguns aspectos e o outro recém chegou.

-> Ariel Rother

TIME IDEAL: Marcelo Lomba, Rodinei, Moledo, Cuesta, Moisés, Lindoso, Patrick, Edenilson, D'Alessandro, Thiago Galhardo, Guerrero.

Motivo: Optaria pelo Galhardo jogando flutuando entre o meio e o ataque, pois tem sido um dos destaques do time nesse começo de temporada e acho que não pode ficar de fora. Poderia colocar também o Nonato no lugar do Patrick, mas acredito que por ser um duelo mais físico e com mais cuidados defensivos, o Patrick se encaixe melhor.

Mais tarde o Boschilia poderia entrar no lugar do Patrick, ou no setor do Galhardo fazendo essa função de ligação com mais qualidade e chegada no ataque.

-> Israel Rother (@israelrother)

TIME IDEAL: Lomba, Rodinei, Moledo, Cuesta, Moisés, Musto, Lindoso, Edenílson, Boschilia, D'Alessandro e Guerrero.

Motivo: Não é hora de muita mudança, talvez futuramente Danilo no gol e Fuchs na zaga, mas no momento por ser decisão não dá para arriscar e mudar muito.

Espero um bom jogo e resultado do nosso colorado, esta nova ideia de jogar do Coudet é muito boa, só acho que temos que ter cuidado com os espaços na defesa em contra ataque.

-> Alan Rother (Celta_Bardo)

TIME IDEAL: Lomba, Rodinei, Moledo, Cuesta, Moisés, Lindoso, Edenílson, Patrick(Boschilia), Thiago Galhardo, D'Alessandro e Guerrero.

Motivo: Ainda que seja cedo para se tirar conclusões me parece que já existem indícios de que Lindoso ao lado de Musto (pela idade e características redudante de ambos) acarretam em um meio de campo lento na recomposição e uma defesa exposta sem velocidade para o combate dos contra-ataques. A presença de ambos complica ainda mais quando somamos o Patrick (que no meu ver joga fora de posição desde que chegou, pois como quando atuava no Sport e no Goiás, está muito mais para um segundo volante do que um ala ofensivo) e Edenílson, formando uma linha a grosso modo de 4 volantes (ainda que com funções de meio-campistas), mas como se viu em Ijuí, nem sempre é sinal de consistência defensiva.

Assim, meu time ideal não teria essa composição pois agregaria inicialmente o Thiago Galhardo (futuramente pode ser o Boschilia) na função do Patrick, deixando o Pantera Negro cumprindo um papel de força/combate no meio campo e abastecendo os meias Galhardo e D'ale, além de assessorar as subidas de Moisés tanto defensiva como ofensivamente. Musto é bom jogador, sem dúvida, seu porte físico é diferenciado mas sua falta de velocidade na função preocupa ainda mais ao lado de Moledo. Portanto, nesse esquema Thiago Galhardo teria que recompor mais, no que seria o mesmo 4-1-3-2 de Coudet com Edenílson e Patrick tendo liberdade para flutuar no meio, sempre seguindo os conceitos básicos do comandante argentino de pressão alta, troca de posições, inversões e agressividade nas laterais para se obter a vantagem numérica e o elemento surpresa (com Moisés e Rodinei). Mais importante que o esquema em si ou as peças utilizadas é a absorção dos jogadores das ideias fundamentais do novo técnico. Ainda que me agrade a utilização de Nonato, Johnny e outros jovens, essa escalação oferece uma boa medida entre jovialidade e experiência (Lindoso 30 anos, Edenilson 30, Patrick 27, Thiago 30, além de Moisés 24 e Rodinei 28) para um jogo a nível internacional. Essa não seria minha escalação "ideal" do Inter mas apenas pensando para a estreia. 

Embora não seja aconselhável arriscar muito nessa altura, o saldo qualificado obrigado o Inter a trazer um resultado com gols. 

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

1874 pessoas já votaram