Texto por Colaborador: Redação 01/04/2021 - 02:31

 Após o empate com São José por 0 a 0 no Beira-Rio, o técnico colorado, Miguel Ángel Ramírez elogiou o volume de jogo de sua equipe, mas lamentou que tenha faltado o gol. Além de analisar o duelo desta quarta-feira, o espanhol também falou suas primeiras palavras sobre o Gre-Nal. O clássico será o primeiro grande desafio para o time treinador por Ramírez na temporada 2021. Confira suas principais declarações pós-jogo:

ENTREVISTA

CITAÇÃO

Partida: "Faltou o gol. Tentamos. Tivemos chances. Sabíamos que quanto mais tempo passasse, dificilmente ganharíamos. Eles se defenderam bem e nos deixaram poucos espaços, vieram para não perder. Mesmo assim, nós chegamos. Mas se não somos capazes de fazer o primeiro gol contra este tipo de equipe… é complicado de ganhar.

Clássico: "Sei da importância do próximo jogo. Vamos armar a equipe mais competitiva possível para ganhar no sábado Vamos ver outros elementos. Sei da importância do Gre-Nal e vamos armar a melhor equipe. Clássico é clássico. Independente de qualquer competição ou momento da temporada. Isso vai valer para o Grêmio também (...) "Nós este sábado vamos tentar colocar nossa melhor espinha dorsal, a mais competitiva para esta partida, mas não posso assegurar que vai ser a espinha dorsal de sempre (...) Não estou ansioso, mas sim muito emocionado para jogá-lo. Nunca sonhei que viveria ele como treinador, e isso me faz muito feliz. Sei os números na Arena, que não são favoráveis para nós, e isso nos motiva mais".

Rival: "Grêmio é um grande time, tem um excelente treinador, com tempo e isso facilita a todos. E quem vem de novo se adapta a muito mais rápido (sobre o Grêmio e o Renato) (...) Não jogaremos sempre com o mesmo sistema e mesma escalação, dependemos de nosso adversário. Posso a ter uma espinha dorsal, mas essa espinha vai ir se alterando conforme os rendimentos".

Time base: "Quando tu pensas em um 11 titular no começo do trabalho, ele não será o mesmo 11 titular no final da temporada. É totalmente irreal. Há lesões, cartões, partidas muito próximas. Se temos um plantel de 30 jogadores, é por algum motivo, não para que joguem sempre os mesmos 11 jogo atrás de jogo. Precisamos tentar ter todos no máximo nível possível para tentar utilizá-los. Obviamente há hierarquia, e os que estiverem melhor fisicamente jogarão, porque os melhores têm que jogar. Mas isso não me garante uma continuidade do time titular, porque o jogador também tem altos e baixos ao longo do ano. Vamos partida a partida vendo quem é o rival, quais análises fazemos, e qual o 11 melhor para enfrentar esta partida".

O que tem dado certo: "Vejo eles já entendendo o conceito de eliminar os rivais e nos deixar em vantagem neste setor".

Estreia de Palácios: “Palácios tem pouco tempo conosco. Necessita tempo. É um jovem em outro país, com outro idioma. Tenham paciência com ele”.

Categorias

Ver todas categorias

Tu gostou da nova camisa do Inter?

Sim

Votar

Não

Votar

254 pessoas já votaram