Texto por Colaborador: Redação 15/02/2020 - 20:00

O GreNal 423 teve maior repercussão especialmente para duas peças escolhidas a dedo por Eduardo Coudet, neste sábado (15), pela semifinal do 1° turno do Gauchão: Musto e Bruno Fuchs. Um recebeu vermelho ainda na etapa inicial e outro entrou no lugar do até então titular inquiestionável de uma das melhores duplas de defesa de 2019. Falando sobre esses momentos e do revés para o maior rival, em casa, confira as principais declarações na zona mista:

“O resultado passou pela minha expulsao, mas o time criou bastante com um a menos (...) Assumo meu erro no lance, na hora eu agi na emoção, no calor do jogo. Agradeço aos meus companheiros que correram por mim", admitiu Musto, para complementar: "A partir da minha expulsão, a equipe se liberou e passou a jogar da maneira que precisava. Acabou não alterando o trâmite da partida. Me deixa triste em não podar ajudar meus companheiros."

Questionado também sobre o jogo contra o Tolima pela Libertadores, ressaltou que "Creio que teremos tempo pra se recuperar. Temos que levantar a cabeça rápido. Será mais uma desafio importante."

Bruno Fuchs avaliou o lance do gol, declarando que foi "Um lance muito difícil, pois ele veio de frente. Eu acho que foi mais felicidade deles do que infelicidade nossa". Em relação a pressão do jogo, se mostrou tranquilo: "Pressão, não. Todo mundo tem o sonho de jogar. Ninguém discute a qualidade do Moledo, mas quero jogar e estou à disposição. No Inter e em qualquer clube grande, sempre terá pressão", explicou.

Sobre colocar Moledo no banco, disse que "todo atleta tem o sonho de jogar. Com certeza o Moledo é um grande zagueiro, mas eu to aqui também a disposição do treinador. Respeito se ele não me colocar, mas quero estar jogando sempre" finalizou.

Confira outras declarações pós-jogo:

Moisés: "É...Acho que com um a menos é difícil, mas não pode dar desculpa. Acontece. Não vamos culpar o Musto. Mas segundo tempo a gente jogou. Criamos mais que eles, finalizamos. O Diego foi feliz. Temos um jogo importante na Libertadores. O Lucas pisou no meu pé, caiu no meu tornozelo. Tá doendo. Vamos ver. Fiquei muito limitado no segundo tempo. Dói, mas tomara que não seja nada”.

Rodinei: "Todo mundo viu a partida, criamos mais chances. Mas no futebol não é só criar chances, tem de concluir em gol. Nosso time não tem que dar desculpa nenhuma, tem que assumir. Todos nós somos homens, homens de grupo. É continuar trabalhando, pensar na Libertadores porque temos coisas boas essa noite".

Categorias

Ver todas categorias

Gustagol é um bom reserva para Paolo Guerrero?

Sim

Votar

Não

Votar

3106 pessoas já votaram