Texto por Colaborador: Redação 24/07/2020 - 16:22

Em 2019 muito se dizia que Guerrero não pode marcar nos clássicos devido ao esquema de Odair Hellmann, notoriamente mais preocupado em se defender e sair nos contra-ataques, formato que atrapalhava e isolava o camisa n° 9 colorado. No entanto, mesmo atuando em 2020 ao lado de peças de maior categoria (Saravia, Moisés, Boschilia, Marcos Guilherme, Thiago Galhardo) e com uma formatação claramente "propositiva" sob o comando de Chacho, Paolo passou em branco mais três vezes, sendo empiricamente dominado pela experiente dupla de zaga gremista. 

Também ainda no ano passado, por mais que tenham sido poucas as chances dele realmente decidir (recebendo por exemplo uma bola "pronta" para somente finalizar com reais chances de gol), fato é que o centroavante alvirrubro desperdiçou alguns bons contra-ataques quando precisava, em certos momentos, somente acertar um toque chave para contribuir o confronto a nosso favor.  

Todavia, longe de querer crucificar o peruano que no geral faz boas partidas e mostra-se crucial no grupo, não marcar em seis clássicos contra o maior rival preocupa e geram zoações pelas bandas do Humaitá. 

Desde que chegou ao Beira-Rio, Guerrero ainda não saboreou o gosto de uma vitória, estando presente em três empates e três derrotas frente os comandados de Renato Portaluppi. Os resultados são os piores do peruano em clássicos desde sua chegada ao Brasil – entre 2012 e 2015 defendeu o Corinthians, antes de vestir a camisa do Flamengo entre 2015 e 2018. Entretanto, sob o ponto de vista individual, o desempenho de Paolo no Gre-Nal não é o seu pior em clássicos brasileiros, segundo levantamento do GOAL.

Nos tempos de Flamengo, Guerrero não conseguiu fazer nenhum gol contra o Vasco em nove partidas. As cobranças que recebeu naquele período chegam a lembrar as de hoje, com a diferença que o Rubro-Negro (já com um elenco certamente superior ao do Cruz-maltino) conseguiu vencer o rival duas vezes.

Outro fator que aliviou as críticas recebidas no Rio de Janeiro, em comparação ao seu desempenho pelo Inter contra o Grêmio, foram os gols de Guerrero sobre Botafogo e Fluminense: o peruano marcou quatro vezes contra cada um destes adversários. A pedra na chuteira foi mesmo o confronto contra o Vasco.

Apesar das críticas pelo desempenho em Gre-Nais, Guerrero já viveu situação pior contra outro grande adversário. Até igualar a marca negativa contra os cruz-maltinos, o camisa 9 terá outras três oportunidades de estufar as redes gremistas.

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

2968 pessoas já votaram