Texto por Colaborador: Redação 18/05/2020 - 18:28

Em entrevista ao repórter Lucas Herrero, da Rádio Bandeirantes, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, declarou que o retorno da Bundesliga é considerado "muito animador" e um passo importante visando a volta do esporte também no Brasil, porém, em outro momento. Na Alemanha, protocolos rígidos foram seguidos, como o distanciamento de um metro e meio entre jogadores, seja na entrada em campo ou no banco de reservas. Todos com máscaras, menos os 22 titulares e a arbitragem.

"É muito animador. Quando a Alemanha começa a voltar, é uma sinalização de que é possível se pensar em algum retorno nesse momento no Brasil em termos de treinamentos. O Brasil se prepara para que em momento adequado e muito responsável possa um dia voltar. E esperamos que esse dia não esteja tão longe", disse Feldman.

Quanto às partidas em si e ao pré-jogo alemão, o secretário-geral da CBF observou alguns tópicos que precisam ser corrigidos, como abraços na hora dos gols e casos de jogadores que saíram da concentração, mesmo com a ordem para que todos permanecessem confinados por uma semana em hotéis antes das disputas.

Já em declarações ao programa Troca de Passes, do SporTV, o dirigente falou de um calendário estendido até janeiro e da dificuldade de retorno das competições continentais, colocando os nacionais como prioridade.

“A temporada deve avançar até janeiro. Nós ainda não temos todos os elementos de uma equação muito complexa e que tem muitas variáveis. Semana passada nos reunimos com a direção da Conmebol, exatamente discutindo isso. A volta da Libertadores e da Sul-Americana interfere de maneira profunda no calendário brasileiro. Agora, é uma questão mais complexa. Na linha de futebol estadual, nacional e internacional porque a realidade dos países é muito diferente. A logística da malha aérea está absolutamente comprometida. Então haverá Libertadores e Sul-Americana esse ano? Se houver, qual será o impacto nas competições nacionais? A prioridade absoluta é o calendário brasileiro (...) É evidente que nós gostaríamos de participar da Libertadores e da Sul-Americana, é do interesse dos clubes da elite do Brasil, mas nós temos convicção de que o que mantém de maneira rigorosa a sustentação dos clubes brasileiros, particularmente dos clubes da Série A, são os contratos nacionais. E ouvimos da representação da Conmebol exatamente isso. Dizia o diretor de competições que essa é a realidade das outras nações sul-americanas, o esforço de cumprir o calendário nacional. Essa é uma questão fundamental para nós”, finalizou.

O futebol está paralisado no Brasil desde o meio do mês de março. As competições precisam de liberação das autoridades de saúde para voltarem a acontecer. Em São Paulo, o isolamento segue até, pelo menos, dia 31 de maio.

Um protocolo formulado pela coordenação médica da CBF para o retorno do futebol no Brasil está sendo avaliado pelo Ministério da Saúde e por secretários de estados e municípios, porém não há prazo para resposta.

Walter Feldman adiantou com exclusividade à Rádio Bandeirantes um aprimoramento brasileiro em relação as medidas tomadas na Europa. A implementação do teste olfativo da Covid-19 nos jogadores durante o período de preparação.

Fonte: Rádio Bandeirantes / Esporte Band

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

854 pessoas já votaram