Texto por Colaborador: Redação 17/02/2020 - 18:34

Motivado depois de superar o Macará do Equador no caminho, o técnico do Tolima Sports, Hernán Torres Oliveros, deu suas impressões sobre o que ele espera do jogo da próxima quarta-feira (21:30), em Ibagué, frente o Internacional, de ida da terceira fase da Copa Conmebol Libertadores 2020.

O treinador de 58 anos disse conhecer os pontos fortes do adversário que tem pela frente, enquanto busca uma vaga na fase de grupos do torneio continental.

"Temos todas as sensações. Vamos enfrentar um grande rival, que marcou história no futebol internacional, que tem ótimos jogadores e um bom treinador. Sabemos que não será fácil", disse o comandante em entrevista coletiva, sob o sol inclinado do centro esportivo de San Gabriel, com temperaturas acima de 30 graus.

"As expectativas são todas: a frente estará uma grande equipe e esperamos viver de acordo com a competição. Estamos começando, há coisas muito boas e outras nem tanto, mas elas fazem parte do processo de consolidação de um estilo de jogo e de uma idéia a ser adicionada ", acrescentou o técnico, que chegará ao seu 12º jogo no torneio, em três edições coperas.

Quanto à análise de seu oponente, deixou claro sobre o que deve explorado, a partir do analisado diante da Universidade do Chile, numa chave em que os gaúchos se mostraram muito superior aos chilenos. Consultado sobre os nomes expoentes do ataque alvirrubro(Guerrero, Dalessandro), avaliou:

"Todos sabemos o que o Internacional tem: jogadores rápidos, que adicionam muita gente ao ataque, jogam com grande intensidade, bom manuseio da bola, dobram bem na velocidade, por isso é um time difícil, com uma idéia clara do jogo" disse Torres, que tentará repetir o que aconteceu em 2011, quando enfrentou o poderoso Corinthians com Ronaldo em suas fileiras.

Mas outros jogadores também foram destacados: "Eles têm Moisés, Rodinei, Edenilson, Patrick, Rodrigo. Eles têm centrais que atuam como zagueiros-atacantes como (Víctor) Cuesta e volantes que também atacam, como (Damián) Musto. Todos atacam, todos têm capacidade de definir, por isso não é apenas cuidar de D'Alessandro ou Paolo, mas de todos que entram ".

E, embora tenha deixado claro que ainda precisa fazer ajustes em todas as suas frentes, ele sabe que tem uma folha de pagamento que pode lutar contra um dos grandes nomes da América do Sul. "Com o que estamos fazendo, com o estilo de jogo, com o grupo que reúne técnica, capacidade e profissionalismo e, como tal, vamos enfrentar o compromisso", afirmou.

"Esse time se acostumou a ser campeão, a estar na Libertadores e na América do Sul, e acho que tem hierarquia para jogar nesta instância. Nesse lado, estamos calmos, porque temos jogadores que disputaram essas instâncias e essa experiência é importante", acrescentou. Torres, que esclareceu que, independentemente do placar, o que importa é vencer.

Categorias

Ver todas categorias

Gustagol é um bom reserva para Paolo Guerrero?

Sim

Votar

Não

Votar

3106 pessoas já votaram