Texto por Colaborador: Redação 06/04/2020 - 18:32

Nesta segunda-feira (6) as Rádios Bandeirantes e GreNal conversaram com Valdomiro, ex-ponta alvirrubro e da seleção brasileira, ídolo por suas conquistas com a camisa vermelha na década de 70. Falando no aniversário de 51 anos do estádio Beira-Rio, o eterno camisa n° 7 traduziu toda sua emoção em poder jogar pelo Inter num dos maiores templos do futebol mundial. Confira abaixo suas principais declarações:

"É uma alegria muito grande para mim falar da minha paixão por esse clube. Não é qualquer um que veste esta camisa. Me sinto muito orgulhoso. É um dos maiores clubes do futebol brasileiro e do mundo. É uma alegria imensa ter realizado 853 jogos com essa camisa. Foram mais de 13 anos de belos momentos." (...) O Inter me deu tudo na vida. Aí, eu aprendi a ser homem. Cheguei no Rio Grande do Sul sem saber ler nem escrever. E saí formado na faculdade", agradeceu emocionado ao SCI. 

"O Beira-Rio é minha casa. Estive na inauguração, em 1969, contra o Benfica, quando o Claudiomiro fez o gol em cruzamento meu. Foi onde iniciei e terminei a carreira de jogador. O Beira-Rio me ensinou a ser gente (...) Eu sempre falo que, ali, começou o crescimento do Inter como um time grande. O time ficou conhecido na Europa, começou a ganhar muitos títulos."

Mensagem ao presidente colorado: "Falei para o presidente Marcelo Medeiros, que se eu ainda pudesse jogar, gostaria de ficar um ano para dar um título para ele. Assim como o pai dele, ele merece."

Orgulho pelas conquistas: "O único time que ganhou o Campeonato Brasileiro invicto é o Sport Club Internacional. É uma alegria muito grande ter feito parte disso (...) Hoje eu vejo todo mundo elogiando o Flamengo, e penso: 'poxa vida'. Em 1975 e 1976, o Inter já jogava dessa forma. O torcedor ia para o Beira-Rio sabendo que o time ia ganhar. Nós jogávamos para frente, queríamos fazer 2, 3. Vinham os times grandes para Porto Alegre, Flamengo, Botafogo, e se perdessem de 1 a 0 achavam bom. Fora de casa jogávamos para ganhar também."

Mensagem final: "Peço para os torcedores colorados, gremistas, todo mundo: fiquem em casa, mais uns 10 dias, que isso vai passar se Deus quiser. É uma coisa muito perigosa. Ficar em casa não é sinal de fraqueza, é de grandeza."

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova a renovação de contrato de Rodrigo Dourado?

Sim

Votar

Não

Votar

854 pessoas já votaram